Sábado, 24 de Outubro de 2015

Finlândia Deixa a Criança Ser Criança

A Finlândia dá exemplo no sistema de educação e não apenas infantil, onde as crianças são mais livres para serem crianças. O sistema educacional finlandês é considerado como um dos melhores do mundo e os bons resultados que lá se obtêm, o comprovam.

Como se conseguem tais resultados?

 

1. Professores são profissionais valorizados

A educação é uma profissão de prestígio e os professores são considerados autoridades na escola e na sociedade.

2. A educação é totalmente gratuita e, portanto, acessível a todos

A educação é obrigatória entre os 7 e os 16 anos e todas as escolas, para essas faixas etárias, são públicas. Os livros e o material escolar também são gratuitos. Toda escola garante a alimentação das crianças durante o dia, com qualidade nutricional. O transporte escolar é fornecido pelas municipalidades e também é gratuito.

3. Investimentos equitativos e justos

Os investimentos públicos em educação são feitos de forma equitativa e os fundos estatais são repartidos, de forma justa, entre as municipalidades, em cifras variáveis que visam atender as necessidades específicas de cada comunidade. Essa condição gera igualdade de oportunidades, que é considerada um valor essencial.

4. Currículo comum mas especial

O currículo escolar é comum a todos porém, é organizado por cada centro educacional específico. Cada escola e seus professores desenham o currículo para a comunidade que será atendida por eles e planejam sua aplicação de forma a lograr os objetivos que considerem melhores.

5. A educação é personalizada

Os alunos com necessidades especiais são acompanhados desde os primeiros momentos, aumentando assim seus índices de sucesso e minimizando as porcentagens de fracasso escolar. O ritmo de aprendizagem individual é respeitado, não são aplicadas provas e atividades estandartizadas. Os professores atendem o mesmo grupo estudantil desde o 1º até o 6º ano de escolaridade, acompanhando sua classe na evolução escolar e aprendizagem.

6. Os alunos têm tempo para tudo

Estudar, brincar e descansar são funções sérias do processo de aprendizagem e igualmente valoradas. O 1º ano de escolaridade obrigatória só é começado aos 7 anos, quando se considera que a criança está madura para aprender. Os estudantes do ciclo fundamental, dos 7 aos 12 anos, têm só 3 a 4 classes por dia, com descansos de 15 minutos entre estas e mais um horário para alimentação. As lições que seriam para casa são feitas nas classes.

7. A preparação de aulas é considerada parte da jornada de trabalho do professor

Os professores dão menos classes que em outros países, o tempo em que estão em sala de aula é menor e têm horas específicas, na escola, para preparação das suas aulas futuras, pesquisar temas, interagir com outros docentes, etc.

8. Até o 5º ano do fundamental os alunos não têm provas nem recebem notas

A competitividade não é valorizada. Os relatórios dos professores são somente descritivos sobre seus alunos, os educandos não são valorados em notas.

9. É valorizada a curiosidade e a participação do estudante

A imaginação e a capacidade de realização são valores importantes para a sociedade finlandesa onde abundam profissionais das artes assim como os de tecnologia e engenharias. Este desenvolvimento criativo é fomentado durante todo o processo educativo onde se valora a criatividade, a experimentação e a colaboração em detrimento dos processos de memorização.

10. Os pais estão envolvidos no processo educativo de seus filhos

A sociedade e as famílias consideram que a educação é fundamental e que deve ser complementada com atividades culturais. Os pais dispõem de ajuda social em sua vida profissional para poderem conciliar suas atividades com o atendimento à família.

publicado por J.Ferreira às 02:01

link do post | comentar | favorito
|  O que é?

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Subsidio de Natal versus ...

. Falsidades no Bloco Centr...

. Em Nome do DESACORDO Orto...

. Sucesso Escolar versus Co...

. António Costa e a Queda d...

. O Regresso dos Rankings e...

. Nas Tintas Para a Opinião...

. PAIS de ONTEM na escola d...

. O Milagre das Escolas Pri...

. Os Donos do Sol

.arquivos

. Novembro 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds