Quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

Portugal necessita de uma PERESTROIKA

Afinal, quando teremos políticos competentes em Portugal? Será que não há personalidades nos partidos que sejam capazes de colocar o interesse nacional (a custo zero... salário zero... só pelo reconhecimento social!) acima de todos os interesses sejam partidários, clubísticos, ou familiares??? Será que estamos condenados a ter personalidades na política que, quando chegam ao poder, apenas se dedicam a tratar das suas vidas (encher os seus bolsos, os das familiares, dos amigos, dos compinchas, dos compadres e outros que tantos...?)??? Estaremos condenados a uma nova forma de escravatura: trabalhar e ganhar apenas para comer... (e comer mal!!!)??

 

Por onde andam os que tanto falam de ser necessário mais e mais competência??? Para onde foram os que querem avaliar tudo e todos mas que recusam ser avaliados pelos resultados das suas políticas??? Em breve, estarão de volta... os mesmos... os que conduziram Portugal para o beco sem saída a que chegamos!!!! Seguramente!! A dança das cadeiras na política é um autêntico circulo vicioso. Os políticos de todos os partidos sabem que, em política, é tudo uma questão de tempo: bastará esperar uns anos, peregrinar uns aninhos nas cadeiras ou na bancada da oposição e... depois, mesmo sem nada mudar de efectivo nas suas intenções políticas, bastará "esperar sentadinhos" pois sabem que, mais cedo ou mais tarde, acabará por efectivar-se a máxima popular: "detrás de mim virá quem de mim bom fará". De facto, cremos que a memória do povo é muito curta... e quando a dor resultante do esvaziamento da carteira se instala... qualquer "fazedor de promessas" aparece como salvador, como aquele que, com mais ocas e falsas promessas, cria nocvas ilusoes ao povo. Eles sabem que é com mentiras que se acalma a dor, a raiva e a indignação dom povo. Assim fizeram os anteriores e os actuais seguiram-lhes o exemplo.

 

Porém, no dia seguinte ao das eleições, nada de bom o povo poderá esperar. Logo virão com o discurso de que "o país está pior do que se esperava... pior do que o governo anterior dizia estar... que havia contas falsas... escondidas... buracos...!!! Sim... Isso porque faz falta encontrar forma de convencer o povo a apertar o cinto pois só assim conseguirão os milhões que necessitam para encher o bolso daqueles que os rodeiam.

É uma catástrofe...! São umas centenas de novos políticos, amigos, compadres que faz falta nomear... Outros tantos que entrarão na dança das cadeiras... independentemente da competência.

E o país continuará a afundar-se, enquanto todos "os políticos continuarão a tocar violino" com muito maior tranquilidade do que os violinistas do Titanic (porque estes nem salva-vidas tinham. Mas aqueles (os políticos) seguramente estarão mais que a salvos com fortunas colossais colocadas em nome de não se sabe quem, no estrangeiro ou em paraísos fiscais (offshores)!!!

Por isso, com ou sem eleições à porta... os portugueses nada de bom poderão esperar... E não é ser pessimista: é ser realista. Conhecem algum que tenha conseguido ficar arruinado economicamente por ter entrado na política? Pois é! A política não arruína ninguém: todos deixam a política com os bolsos recheados! Por isso, todos os que andam por esses meandros, nunca deram provas de nada em nenhuma empresa... nunca governaram nenhuma empresa que prosperasse economicamente na sociedade portuguesa e além fronteiras. Mas... sempre se consideram os "donos do saber fazer da economia". Como o dono do Titanic que deu ordem para acelerar com a ambição de surpreender os americanos... Triste destino. Se deixassem o capitão levar o gigantesco navio de cruzeiro... certamente ainda hoje o teríamos a navegar. Mas, como quem tem o poder, o dinheiro (por muito estúpido que seja!!!)) é quem decide... o destino do barco... foi o que todos sabemos!

Assim, não se augura nada de melhor, venha quem vier. Com o país a caminho do abismo... ou se dá uma volta de 180 graus ou... o fim já se sabe qual será.

Por onde começar? Simples... Já o propusemos outrora... antes da Tempestade Perfeita  (o orgulho da legislatura de José Sócrates!!) ter atingido Portugal. Teremos de começar pelos lugares mais altos da nação... Outra é questionar, seriamente, se devemos continuar com a República ou devemos reinstalar a Monarquia (como fizeram os espanhóis!). Hoje, é melhor estar desempregado em Espanha que estar empregado em Portugal... É urgente acabar com as mordomias de muita gente que chegou à política sem nada e sai milionária!!

 

Ainda será possível. Com algumas medidas que atraiam quem sabe pelo gozo de saber fazer e ser reconhecido socialmente. Para tal,  os salários dos políticos têm de ser definidos em função do acréscimo ou decréscimo do PIB. Só assim se preocuparão com o povo. Se, fruto das suas políticas, e das medidas económico-financeiras tomadas, o PIB crescer ... os políticos podem até ganhar milhões que o povo não os condenará. Agora, o que assistimos na década de 90 foi ao aumento do salário dos deputados para mais do dobro sem que o crescimento do PIB o justificasse. Não admira que a política tenha atraído uma camada de "chicos-espertos" que viram na carreira partidária uma forma de subir na vida ainda que, com as suas medidas, Portugal tivesse sido conduzido para o abismo!

 

A politica é um "fartar de mordomias". Por isso atrai tanta gente. Veja-se a diferença entre os actuais e os primeiros republicanos. Sejam Ministros ou Presidentes da República, actualmente, todos se fartam de mordomias e benesses (sejam remuneratórias, subsidiarias, subvencionais, ou outras que tais...). Noutros tempos o PR pagava arrendamento da casa pública que habitava !  Basta consultar a Wikipedia para constatar que, "Em 1912, já depois da proclamação da república, o Palácio de Belém foi designado residência oficial do Presidente da República. Os presidentes da I República tinham porém que pagar renda ao Estado para residirem no Palácio (para não serem acusados de gozarem de privilégios atribuídos ao anterior regime)".

 

O problema é que neste sistema democrático (de alternância no poder entre dois partidos, sozinhos ou em coligação com outros partidos). Assim, nem precisam de mudar nada, nem nas pessoas nem nas políticas: quando o povo fica farto de uns, acaba por voltar a colocar no poder os anteriores. Mesmo que sejam na essência os mesmos que tinham sido "expulsos" do poder. Não haverá alternativa a este sistema??? Que é feito dos competentes? Emigraram??? Fugiram do país? Foram contratados por "clubes" estrangeiros porque lhes pagam melhor??? Ou andam por aí a tratar das suas vidinhas enquanto o país se afunda??? Querem ser reis num país miserável? Não seria melhor ser apenas cidadão num país de prosperidade? Só ficamos com os incompetentes?

 

Portugal continua o seu rumo irreversível "A Caminho do Abismo". Parabéns aos nossos (des)governantes. Passam a vida a falar de "excelência" no profissionalismo dos diversos sectores de actividade e o que vemos é que os políticos, à parte os recortes sistemáticos, nada de original sabem fazer. Mas, quando toca a recortar nos salários dos funcionários... já parecem gostar de trabalhar! Se fosse para aumentar salários... adiariam para a próxima sessão parlamentar... ou para o ano das eleições!!! Seguramente! Agora, como é para cortar nos salários dos trabalhadores... até se preparam para a interromper as férias parlamentares!!!! Oh... como trabalham estes senhores para prejudicar os trabalhadores! Enquanto os nossos governantes decidem interromper as férias parlamentares  para poderem "ajustar a legislação" aprovada (que foi recentemente parcialmente chumbada pelo Tribunal Constitucinal) a fim de poderem aplicar novos cortes já em setembro, continuam a permitir que a dívida portuguesa continue a subir! Segundo o Banco de Portugal, "A dívida pública portuguesa subiu para os 134% do Produto Interno Bruto (PIB) no final do primeiro semestre, acima dos 132,4% registados no final dos primeiros três meses de 2014. De acordo com dados do boletim estatístico divulgado hoje pelo Banco de Portugal (BdP), a dívida pública na ótica de Maastricht (a que conta para Bruxelas) alcançou os 223.270 milhões de euros em junho deste ano."
 

Por este andar, vamos bem... Parabéns ao (des)governo!!! Em breve, teremos de ser resgatados do fundo do abismo! Cremos que Portugal já não vai lá com nenhuma TROIKA... Antes, Portugal necessita de uma PERESTROIKA. 

Estamos inseridos na Comunidade Europeia. Somos membros de pleno direito... Muitas "Directivas Comunitárias" têm sido aprovadas no Parlamento Europeu que têm implicação directa nas políticas dos diferentes países que a compõem... Ora, se somos membros da comunidade, se vivemos numa realidade comum (a União Europeia) e foram criadas directivas que implicaram mudanças na forma como se entende a cidadania na Europa, para quando uma directiva que ponha fim à exclusividade dos nacionais para se candidatarem ao (des)governo da nação??? É urgente que se permita que outros membros da comunidade europeia (cidadãos europeus de pleno direito) se possam candidatar a governar qualquer país da União Europeia.

Espantam-se? Pois bem: não há motivo para tal. Hoje, temos algarvios a governar cidades do centro, lisboetas a governar cidades algarvias, nortenhos a governar cidades do centro e/ou sul... Pois bem... Venha lá uma "Lei Bosman" para os políticos...  Se queremos o melhor para Portugal, devemos exigir melhor qualidade nos nossos governantes. E se Cristiano Ronaldo compete com outros a nível da Europa, por que não criar competição saudável entre os políticos (acabando com a exclusividade e a dança das cadeiras entre os mesmos senhores de sempre!!) permitindo aos cidadãos da Europa um maior leque de escolha. Merecemos melhor... E isso só se consegue se tivermos (como os clubes de futebol!) um maior leque de opções de escolha!

 

Com efeito, se os políticos portugueses são incapazes de mudar o rumo que deram ao nosso país, e continuam a conduzi-lo para o abismo (para fora do abismo a que o levaram!!!) que venham políticos do estrangeiro (como os jogadores para os clubes da União Europeia!!!) a ver se temos quem governe melhor o nosso Portugal!

 

 

publicado por J.Ferreira às 18:15

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Segunda-feira, 21 de Julho de 2014

Uma Educação Tipo Catavento

Santana Castilho (no seu texto "O mercado municipal") tocou uma vez mais na ferida... E, o quer espera este país... já em nada nos surpreende.

 

"A municipalização da educação está a ensaiar os primeiros passos em contexto estratégico favorável, prudentemente escolhido" (...)"

"Há um fio condutor para esta proposta, qual seja o de impor à Educação nacional o modelo de mercado, agora de mercado municipal. Trata-se de transformar o acto educativo em produto de complexidade idêntica à rotunda ou à piscina municipal. Quer-se apresentar a Educação como um simples serviço, circunscrito a objectivos utilitários e instrumentais, regulado prioritariamente por normas de eficiência. Querem exemplo mais escabroso que o convite para que as câmaras cortem professores, até ao limite máximo de 5% do número considerado necessário, a troco de 12.500 euros por docente abatido?" (texto integral aqui)

 

De facto, cada vez mais se assiste a uma caminhada (cega... mas de uma cegueira surda) em direcção ao abismo. A Educação em Portugal caminha para o abismo como os ratos do Flautista de Hamelin caminhavam para o rio... E o povo que deve conhecer bem este conto, deveria estar mais prevenido contra estes encantadores de serpentes.

 

Depois dos políticos decidirem sobre a língua de Camões (insultando-a!) com o acordo Ortográfico, chegou a vez de colocarem nas mãos de um certo grupo de políticos - esses tais que se auto-intitulam de cidadãos eleitos (quantas vezes!!!) para (des)governar a polis ... o que é bem diferente de "competentes" - o destino educativo de uma ou mais gerações. Que triste! os que deveriam governar a Educaçãod e um país deveriam ser aqueles que a ela se dedicam a tempo inteiro e não uns paraquedistas que, de opinião em opinião (tal como os papagaios que, de palavrinha em palavrinha, lá vão encantando a população!) conseguem chegar à cadeitra da decisão (ministro!).

 

 

publicado por J.Ferreira às 18:07

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011

Regresso ao Abismo

É triste que tantos e tantos portugueses foram enganados por outros tantos políticos que levaram o país para o abismo...

Sim. Depois de anos e anos em que alertarmos aqui (quase solitariamente e a correr o risco de ser rotulados como "faccionistas" ou, no mínimo, "pessimistas" !?) vemos que hoje ninguém mais fala de Vítor Constâncio (premiado com uma nomeação para o BCE depois de ter demonstrado a sua incompetência à frente do Banco de Portugal (lembram-se da falta de controlo do BPP e do BPN que ajudou a afundar Portugal?), nem de Jorge Sampaio, que astutamente devolveu o poder aos socialistas para que completassem o processo iniciado por outro socialista, António Guterres (lembram-se do país "de tanga", frase imortalizada pela voz de Durão Barroso) contribuindo para que o mais incompetente de todos os primeiros ministros de Portugal (José Sócrates) pudesse chegar às cadeiras do poder e levar o país para o abismo, a ponto de ter de vir até cá a troika para a livrar Portugal da "Banca Rota"...

 

Agora, surgem os editoriais... Como este abaixo... Que me dizem? Por que andaram calados enquanto Sócrates cavava buracos no navio? Não se deram conta de que caminhávamos para o abismo? Ou será que a "tareia" socrática nos professores os divertia...? Afinal, enquantoa fundava o navio entretinha estes jornalistas com cenas de "porrada nos professores"... Quem serão, afinal, os malditos que nada mais fazem do que afundar o país...?? O seu nome começa por "P" de "Políticos" e não "P'" de "Professores"

 

Vejamos pois, o que diz o Director do Jornal de Negócios :

 

"A comitiva que hoje aterra em Lisboa, de membros do FMI, BCE e Comissão Europeia, vem consumar o nosso fracasso. Cada degrau que pisem na descida do avião é uma chicotada no nosso orgulho, na nossa autonomia, no nossa autodeterminação. O País está hoje humilhado.

Em vez de uma marcha fúnebre, temos um cortejo de carnaval. José Sócrates conseguiu, dois dias depois de o País se ajoelhar, produzir o seu mais irreal discurso de sempre. O Congresso do PS encenou um triunfalismo que é ofensivo para um País intervencionado. Foi um delírio colectivo triste, um comício com o fanatismo de Vasco Gonçalves, uma propaganda alucinógena. Leni Riefenstahl, a cineasta de Hitler, ter-se-ia comovido.

Os políticos comportam-se como herdeiros que disputam as partilhas de fortuna nenhuma. É preciso um entendimento entre três partidos, que os vai vincular mesmo durante as eleições a medidas de austeridade, mas todas as pontes de contacto estão a ser dinamitadas. O Presidente da República faz de conta que não é nada com ele (imagine que era com Mário Soares: tem alguma dúvida de que já tinha posto esta gente na ordem?). José Sócrates fala de Passos Coelho como se tivesse acabado de lhe dar uma tareia em bilhar de mesa. Passos Coelho "contrata" Nobre para presidente da Assembleia da República e ainda alguém se vai lembrar de José Manuel Coelho na Madeira. Mas não há grande cuidado com a gravidade da situação financeira que atravessamos.

Os 80 ou 90 mil milhões de euros que vamos pedir ainda não estão garantidos. Há muitos países que estão enfurecidos e que falam de nós como de leprosos. As lideranças europeias são hoje fracas e pressionadas pelas suas opiniões públicas. Mesmo a senhora Merkel, que adoramos odiar, deu a cara por nós, em Berlim, nem há um mês. E nós? Desgovernamo-nos em declarações públicas como quem entra num restaurante cheio com uma metralhadora descontrolada na mão.

É triste que, depois de tantos noas a alertarmos para ao Abismo que estava a ser cavado pelos políticos, tal como o coveiro abre a sepultura para enterrar os que se despedemd este mundo.

Afinal, só nos resta perguntar:

Onde andavam estes jornalistas há uns anos atrás, eles que têm o poder de colocar e demitir governos )

 
A principal razão pela qual a Europa nos quer ajudar não se chama Portugal, chama-se Espanha, chama-se euro. Essa é a nossa protecção. Já que não nos sabemos ajudar, ao menos ajudemo-los a ajudar-nos.

Poul Thomsen é, como Hamlet, dinamarquês e verá que há algo de podre neste reino. Portugal falhou. Entrou em bancarrota. Ficou sem dinheiro. Somos a chacota da Europa, nem na desgraça nos unimos. Portugal vai ser, segundo o FMI, o único país do mundo em recessão em 2012. E no entanto, os políticos, as elites, os governantes, agem sem tino. Não chegou terem atirado o País para eleições no pior momento possível. Agora nem para acordarem um pedido de ajuda se entendem.

O País não é todo um coliseu, há muitos sítios onde hoje o orgulho nacional se sente ferido. Na Beira Alta, onde há honra, é costume dizer-se uma frase que um dia Henrique Monteiro usou no "Expresso": vergonha é não ter vergonha. E ninguém pede desculpa a Portugal.


psg@negocios.pt

 

 

publicado por J.Ferreira às 23:45

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|  O que é?
Domingo, 10 de Abril de 2011

Sócrates vs Flautista de Hamelin

 

Se existissem mais alguns Socialistas despertos como este congressista que fala "sem papas na língua" talvez os socialistas tivessem perdão para o que fizeram com as finanças do país... Porém, enquanto Portugal se afunda (como no caso do filme "Titanic" de James Cameron), há muitos socialistas por aí contentes e a tocar violino! É que a crise ainda não chegou a todos as bolsas! Porque enquanto os contribuintes suportam a crise, uns quantos amigos do poder  enriqueceram, ficaram multi-milionários com salários chorudos, aberrantes e indignos conseguidos à custa da opressão dos salários de muitos trabalhadores escravizados que têm de L(AB)UTAR para receber no fim do mês uma miséria de salário e assim sobreviver.

É este o socialismo que apregoa a justiça e equidade social? Ora, com "socialistas" destes, não precisamos de ditadores para nada pois, tal como na canção "Os Vampiros" (cantada Zeca Afonso) "eles comem tudo e não deixam nada".

O mais incrível é ver os mesmos socialistas que fundaram o país a tentarem fazer-se passar por  vítimas do pântano que eles  próprios criaram, Outros, que se calaram enquanto a equipa de Sócrates se divertia a jogar à batalha naval a ver quem era capaz de afundar este barco chamado Portugal, aparecem agora a "colocar a boca no trombone". Que pena, meus caros, que estes "profetas" contadores da histórias da desgraça em vez de prevenirem que essa mesma desgraça acontecesse, aparecerem agora fazendo-se passar por homens de coragem (!?)...

Bom... Digamos que, no meio da desgraça que é esta comandita socialista, ainda aparece quem demonstre alguma coragem. Simplesmente porque foi necessário ver entrar FMI (que pena, não vir acompanhado do FBI para identificar aqueles que praticaram autênticos crimes de lesa-pátria") entrar pelo país para despertarem e verem "claramente visto" que já Eça de Queirós tinha escrito: Este governo não cairá porque não é um edifício, sairá com benzina porque é uma nódoa"... Creio que a única palavra que merece ser alterada é "benzina" pois neste caso será o voto popular de uma sociedade que mesmo a ver Portugal a Caminho do Abismo há já vários anos, só agora abriu os olhos como se estivesse a despertar de um pesadelo.

Ninguém quer, de facto, ser afogado. Muito menos os socialistas. Não sabemos se Sócrates morrerá só, como Salazar... Mas seguramente, um dia irá cair da cadeira!  Qualquer português deve recusa aceitar o dramático destino que os timoneiros socialistas (Guterres e Sócrates) foram preparando durante as suas legislaturas....

 

O mais triste é que Sócrates tinha avisado... Mas ninguém quis acreditar que falava verdade... De facto, nós consideramos aquele discurso como um acto falhado. E tínhamos razão. Como diria o povo, "Ah Sócrates... A boca fugiu-te para a verdade!" De facto afirmou Sócrates que iria trabalhar para criar "um país mais pobre". E os jornalistas, ingenuamente, chamaram-lhe gafe...

 

Há um princípio básico que se pode aplicar na política nacional: aqueles que conduziram o país para o pântano, não serão nunca capazes de retirar o país do pântano em que o colocaram. Ou seja,  Sócrates é "o problema" de Portugal.

Outros socialistas (tardiamente, diga-se, mas como "mais vale tarde do que nunca!...") já  tinham identificado Sócrates como "O Problema de Portugal". Depois, de nós, é claro... Mas já o tinham identificado. Pela sua incompetência, obviamente (pese embora a sua capacidade discursiva de entoar os cantos da sereia!) ou melhor, de hipnotizar os portugueses conduzindo o país para um beco sem saída (Portugal a Caminho do Abismo!) tal como o Flautista de Hamelin hipnotizava os  ratos e os conduzia de forma a que se afogavam todos no Rio Weser.

 

Segundo o conto, Hamelin afogava os ratos. Hamelin descobriu a solução! Porém,  os  portugueses não são ratos! E "afogar" os portugueses não é nenhuma solução... Os portugueses não merecem este destino... Ou seja, este barco centenário que é Portugal, merece melhor destino que ser entregue nas mão de um incompetente como Sócrates. Ainda que  Sócrates  sinta orgulho de estar a contribuir para afundar Portugal, nós temos de reagir e impedir que este incompetente volte a ocupar uma qualquer que seja cadeira do Poder...

 

Quando Sócrates ao acabar a sua primeira legislatura exclamou "Isto é que foi uma Legislatura" orgulhava-se de ser como "A Tempestade Perfeita !". De facto, Sócrates deveria estar convencido de que tinha acabado o seu trabalho e de que Portugal jamais se salvaria de ser afundado. Porém, duvidando de que alguém ainda pudesse salvar Portugal, recandidatou-se (mentindo e enganando os portugueses com promessas que sabia não ser possível cumprir e que recusamos colocar aqui por serem sobremaneira conhecidas!) para fazer o resto do trabalhinho sujo: afundar o navio! E, tal como o Flautista de Hamelin hipnotizou os ratos e os conduziu ao afogamento, Sócrates conseguiu hipnotizar os portugueses que, encantados com os seus discursos (falsos, mentirosos)  lhe confiaram de novo o leme do país...

Quanto a nós, Sócrates e os seus compadres do partido (que ainda há um ano permitiram que fosse renovada a frota de carros oficiais alta gama!) é o nosso grande Problema.

Depois de um histórico socialista  (Henrique Neto) diz que  Sócrates é um vendedor de automóveis...

Depois de António Barreto  ter dito que Portugal precisa de se defender é de Sócrates..... surgirão agora muitos mais... mas o destino do barco já está marcado. a entrada do FMI é a prova de que necessitamos de gente de fora para governar o país...

 

É incrível como  enquanto nós (e tantos  outros!) denunciávamos os malefícios deste (des)Governo Socialista,  estes (que agora surgem como os  "heróis contestatários")  estavam caladinhos... Creio que têm um papel a desempenhar para o partido. Sabe-se lá se, em busca de protagonismo ou de um "lugar ao Sol" dentro da próxima estrutura directiva do partido Socialista, como se os de hoje que estiveram calados pudessem ser credíveis no amanhã...

 

Não é só Sócrates que constitui o  problema de Portugal. É toda a comandita que o rodeia, em suma, é o Partido Socialista que deveria ser remetido ao lugar que merece na sociedade portuguesa (e onde desempenha impecavelmente a sua função!): a Oposição. Sem dúvida e já o tínhamos escrito por outros motivos que " O Lugar do PS é na Oposição" (de onde nunca deveria ter saído, diga-se!).

  

Ainda assim, é de admirar que alguns  socialistas (como este, cujo futuro político desconhecemos!) tivessem a coragem de denunciar e "chamar os bois (e os boys) pelos nomes". Resta dizer que, ainda assim, é sempre bom que alguns sejam a voz discordante da maioria socialista, ainda que o nosso Almeida Santos apenas veja nele uma voz discordante "que será o último a impedir de se manifestar!). Será mesmo assim que funciona? Ou será que a maçonaria se encarrega de o "exterminar" politicamente?

 

Converteu-se em um dos beneficiados e culpados (porque sempre foi deputado e permitiu, com o seu silêncio, o seu voto e o seu consentimento, que Portugal fosse conduzido pelos seus camaradas de partido ao ponto que chegou, sem nunca se distanciar nem demarcar do mau rumo empreendido pelo Capitão-Mor do partido socialista, José Sócrates.

 


Há longos anos, Manuel Alegre "cantava" a "Trova do Vento que Passa" mas hoje já nem "canta" nem "encanta" ninguém!

Citamos algumas estrofes, chamando a atenção dos leitores para o que destacamos:

Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

 

Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.

 

Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.
(...)

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.


Manuel Alegre

 

 

 

Junta a tua à nossa voz e grita, alto e bom som:


Que paguem a crise aqueles que a provocaram
e que as finanças públicas desfalcaram.

Que paguem a crise os que ficaram milionários
E todos aqueles que foram os beneficiários!

Que paguem a crise os ministros incompetentes
que desaproveitaram os impostos das gentes

Que paguem a crise os grandes empresários.
que mesmo em crise têm lucros inimaginários!

E aqueles que permitiram salários e prémios chorudos...
E os que decidiram embarcar em projectos absurdos!

Aqueles que destruíram o país, a educação, a saúde...
Ainda têm lata para pedir a alguém que os ajude?

 

E quando acobardadas, muitas vozes se calam
Eis que outras tantas emergem e se levantam.

 

Para reflectir sobre o Acordo Ortográfico:

É num contexto de recessão económica, numa época de extrema crise, que o (des)govenro decide colocar em prática um acordo ortográfico que vai custar milhões às famílias... E muito pior está ainda para vir quando os senhores do FMI descobrirem a podridão deste estado (des)governado pelos socialistas! Que será dos livros que existem nas bibliotecas do país? Que lhes fazemos?
Bem fazem os espanhóis que (e basta ver no dicionários que aparecem nos programs da microsoft!) têm várias "variantes do idioma" sem qualquer problema. O orgulho na nossa língua deveria impedir que se fizessem um Acordo Ortográfico sem qualquer proveito para a vida real das pessoas. 

Seremos mais felizes por escrevermos como os brasileiros? Será que de facto, há substância para se alterar a escrita.

Veja aqui...! E comente.

 

 

publicado por J.Ferreira às 23:48

link do post | comentar | favorito
|  O que é?

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Portugal necessita de uma...

. Uma Educação Tipo Cataven...

. Regresso ao Abismo

. Sócrates vs Flautista de ...

.arquivos

. Novembro 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds