Terça-feira, 17 de Março de 2009

Magalhães: de "Errare humanum est" a "Herrar é o Mano".

 

A evolução da Língua Portuguesa na "Era Socialista" passou a ser feita através de uma nova metamorfose. Até aqui, explicávamos a evolução da Lingua partindo do Latim até ao Português. Na "Era Socialista", passaremos a explicar aos alunos como a Língua Portuguesa evoluiu do "Latim" ao "Magalhanês". Esta evolução enquadra-se numa perspectiva de reconhecimento deq ue qualquer analfabeto poderia ser engenheiro. É a forma de reconhecimento do saber que Sócrates implementou com ao Programa "Novas Oportunidades" dissemina e prolifera como um vírus sem descontrolado... São as formas de ascensão no saber bem características da filosofia que sustente a democratização dos diplomas. Para este Partido Socialista (em que qualquer  cidadão, mesmo que tenha tido fracasso escolar sucessivo pode vir a ser "Doutor"!..

 

Com a "Era Socialista" no poder, seja pelos escritos produzidos pela Directora Regional de Educação do Norte (DREN) seja pelos Programas contidos no Magalhães (o computador falsamente apresentado pelos Socialistas que governam como Genuinamente Português!), a Língua Portuguesa poderá ser caracterizada  como o resultado de uma evolução em 3 etapas:

 

Latim: Errare humanum est

Português: Errar é Humano

Magalhanês: Herrar é o Mano

 

Parece mesmo um filme... e estará em exibição em todas as casas do país… num qualquer computador “MAGALHÃES”... bem perto de Si!   É caso para desabafar: Pobre Língua de Camões! Que te havería de acontecer ... Tão maltratada que és por estes novos  Socialistas.  E tenta o governo dizer ao Povo que há problemas na Escola e que tem de ser feito um esforço para melhorar o Ensino... ! Os professores que aguentem... O que vale é que os professores são persistentes e sabem, ou melhor, esperam (para o bem do ensino dos jovens de Portugal) que esta fase socialista é passageira! Os eleitores (pais e familiares dos primeiros utentes da Escola!) que abram os olhos...

 

Nós apenas dizemos ao Governo: "Por favor…! Poupem-nos a mais desgraças…  Para nos envergonharem no estrangeiro, já nos basta a ver a forma como os Chefes dos países da Europa se riam ao ouvir falar  Inglês o nosso Primeiro Ministro (engenheiro!) José Sócrates.

 

 

Ai, Sócrates… Quanta falta te fazia que tivesses conhecimento das célebres frases de Groucho Marx, actor americano (1890 a 1977): "É melhor ficar calado e passar por ignorante que abrir a boca e dissipar quaisquer dúvidas"!

 

Como diria o Zé Povinho: Ah, pobre Sócrates, nem às solas do Barroso chegas!

 

Agora, com um esforço de imaginação já estou a ver como os "Gato Fedorento" tratariam, humoristicamente, deste tema:

Numa grande Homenagem a Fernão de Magalhães, José Sócrates apresentou ao país o primeiro computador genuinamente português! (Bem... o primeiro, quer dizer... o primeiro... a ter escrita em magalhanês!... É que por esse mundo fora, há mais uns 4 ou 5 iguais e... Sr. primeiro Mnistro... há mais de um ano! Então os senhores do plano Tecnológico Inovador nem sabem o que existe por esse mundo? Está bem... Está bem... Até podem passar mentiras a uma grande parte de portugueses porque como ainda nem lhes chegou a casa o "Magalhães" não podem dar uma voltinha pelo mundo virtual e descobrir um REAL MENTIRA! Mas enfim... vamos lá dar um puntinho ao Sr. Ministro. Ele até estava de boa fé... Só que não sabia, como do costume, do ques está a falar porque anda muito mal informado... Pobre... Nem tem culpa... O Plano Tecnológico ainda nem chegou a S. Bento... Aliás, este Magalhães é original... quanto mais não seja, porque é o único em cor azul...  Bem e apresenta software escrito em "Magalhanês"... Resumindo: mudou a cor da bolsa e fez o que nunca ninguém tinha ainda feito: escrever em Magalhanês… Vá lá…! O Primeiro-Ministro bem poderia brindar as criancinhas com um produto cor-de-rosa! Ou pelo menos, para as meninas, não acham?!…”

  

Englobado na grande e inovadora iniciativa do Plano Tecnológico o (DES)governo de José Sócrates continua a trabalhar arduamente na sua grande aposta: “Educação A Caminho do Abismo”! Em breve, todas as crianças, jovens e adultos, (governantes do futuro) com ajuda do inovador e genuinamente português preparados para falar o novo idioma oficial de Portugal: o "Magalhanês". Assim, ficaremos seguramente, mais afastados do Brasil”

 

*   Herrar é... O Mano 

*  "Cada automóvel só pode mover horizontalmente ou verticalmente. Tu  deves ganhar espaço para permitir ao carro vermelho de sair pelo portão à direita." 

*  "O Tux escondeu algumas coisas. Encontra-las na boa ordem." 

*  "Carrega nos elementos até pensares que encontras-te a boa resposta.  (...) Nos níveis mais baixos, o Tux indica-te onde encontras-te uma  boa cor marcando o elemento com um ponto preto. Podes utilizar o botão  direito do rato para mudar as cores no sentido contrario." 

*  "Dirije o guindaste e copía o modelo." 

*  "Abaixo da grua, vai achar quatro setas que te permitem de mexer os  elementos." 

* Nota: instruções para o jogo sudoku: "O objectivo do quebra-cabeças é de entrar cifres entre 1 e 9 em  cada quadrado da grelha, frequentemente grelhas de 9x9 que contéem  grelhas de 3x3 (chamadas 'zonas'), começando com alguns números já  metidos (os 'dados'). Cada linha, coluna, e zona só pode ter uma vez  um símbolo ou cifre igual." 

*  "Carrega em qualquer elemento que tem uma zona livre ao lado dele.  Ele vai ir para ela." 

*  "Enfia a bola no buraco preto á direita." 

*  "Com o teclado, escreve o número de pontos que vês nos dados que caêm." 

*  "O objectivo do jogo é de capturar  Ao princípio do jogo 4 sementes são metidas em cada casa. O jogadores  movem as sementes por vês. A cada torno, um jogador escolhe uma das 6  casas que controla. (...) Se a última semente também fês um total de 2  ou 3 numa casa do adversário, as sementes também são capturadas, e  assim de seguida. No entanto, se um movimento permite de capturar  todas as sementes do adversário, a captura é anulada (...). Este  interdito é ligado a uma ideia mais geral, os jogadores devem sempre  permitir ao adversário de continuar a jogar." 

*  "Aceder ás actividades de descoberta."  

*  "Pega as imagens na esquerda e mete-las nos pontos vermelhos." 

*  "Carrega e puxa os elementos para organizar a historia."  (nota: "historia" é repetidamente escrito sem acento) 

*  "Saber contar básicamente." 

*  "Move os elementos da esquerda para o bom sitio na tabela de entrada  dupla." 

*  "Puxa e Larga as peças no bom sitio."  (nota: "sitio" nunca é escrito com acento) 

*  "Com o teclado, escreve o número de pontos que vês nos dados que caêm." 

*  "Primeiro, organiza bem os elementos para poder contar-los (...)." 

*  "Carrega no chapéu para o abrires ou fechares. Debaixo do chapéu,  quantas estrelas consegues ver a moverem? Conta attentamente. Carrega  na zona em baixo à direita para meter a tua resposta." 

*  "Treina a subtracção com um jogo giro. Saber mover o rato, ler  números e subtrair-los até 10 para o primeiro nível." 

*  "Quando acabas-te, carrega no botão OK ou na tecla Entrada." 

*  "Conta quantos elementos estão debaixo do chapéu mágico depois que  alguns tenham saído." 

*  "Olha para o mágico, ele indica quantas estrelas estão debaixo do  seu chapéu mágico. Depois, carrega no chapéu para o abrir. Algumas  estrelas fogem. Carrega outra vês no chapéu para o fechares. Deves  contar quantas ainda estão debaixo do chapéu." 

*  "Lê as instruções que te dão a zona em que está o número a  adivinhar. Escreve o número na caixa azul em cima. Tux diz-te se o  número é maior ou mais pequeno. Escreve então outro número. A  distância entre o Tux e a saída à direita representa quanto longe  estás do bom número. Se o Tux estiver acima ou abaixo da saída, quer  dizer que o teu número é superior ou inferior ao bom número." 

*  "Tens a certeza que queres saír?" 

*  "Aprende a escrever texto num processador. Este processador é  especial em que obriga o uso de estilos (...)" 

*  "Neste processador podes escrever o texto que quiseres, gravar-lo e  continuar-lo mais tarde. Podes estilizar o teu texto utilizando os  botões à esquerda. Os quatro primeiros permitem a escolha do estilo da  linha em que está o cursor. Os 2 outros com múltiplas escolhas  permitem de escolher tipos de documentos e temas coloridos  pré-definidos." 

*  "Envia a bola nas redes" 

*  "É preciso saber manipular e carregar nos botões do rato fácilmente." 

*  "O objectivo é só de descobrir como se podem criar desenhos bonitos  com formas básicas (...)." 

*  "O objectivo é de fabricar um forma dada com sete peças." 

*  "Quando o tangram for dito frequentemente ser antigo, sua existência  foi somente verificada em 1800."  (nota: explicação do tangram, um quebra-cabeças tradicional chinês) 

*  "Mexe as peças puxando-las. Carrega o botão direito nelas para as  virar. Selecciona uma peça e roda à volta dela para a rodar. Quando a  peça pedida estiver feita, o computador vai reconhecer-la (...)." 

*  "Reproduz na zona vazia a mesma torre que a que está na direita." 

*  "Reproduzir a torre na direita no espaço vazio na esquerda." 

*  "Puxa e Larga uma peça por vês, de uma pilha a outra, para  reproduzir a torre na direita no espaço vazio na esquerda." 

*  "Move a pilha inteira para o bico direito, um disco de cada  vês."(nota: as quatro últimas frases são as instruções dos jogos  "Torres de Hanoi" e Torres de Hanoi simplificadas" - "Hanoi" sem  acento no "o") 

*  "Torno dos brancos"  (nota: a vez de jogar das peças brancas num jogo de xadrez) 

*  "Joga o joga de estratégia Oware contra o Tux."    

 

Como podem estes governantes Socialistas colocar em causa a competência dos professores? Será que ninguém no Ministério teve o bom-senso de “dar uma olhadela” aos programas do Magalhães antes de os comercializar, antes de “obrigarem” os professores a “vender” aos pais esta porcaria?

Sem palavras… 

É caso para perguntar: "Para onde vai a Língua  Portuguesa? Já não bastava terem assinado um acordo luso-brasileiro (lusobrasileiro?!) para que a Língua seja mais um conjunto de complicações?  O Governo Português promove e patrocina a disseminação de uma nova variante: o "magalhanês"?

publicado por J.Ferreira às 12:14

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

Ser "Professor Titular"... Mérito de Quem?

 

Um Anónimo (Sim Anónimo, porque neste país identificar-se como Professor seria meio caminho andado para ser imediatamente insultado de “preguiçoso” ou de “incompetente”!) comentou no blog "Movimento dos Professores Revoltados", em jeito de desabafo, o seu desencanto demonstrando bem os efeitos preversos de um Sistema de Avaliação que pretendem implementar baseado num Falso Reconhecimneto do Mérito:

 

PROFESSOR ANÓNIMO ESCREVEU:

Currriculum vitae gratuito de um Professor em Tempos Livres

Com todo o tempo livre, dei liberdade a um percurso profissional, que escolhi por livre vontade, enquanto professor, a saber, profissional da Educação, um labor intelectual dedicado ao ensino-aprendizagem. Foi assim, que durante 20 anos de trabalho não lectivo vaguei por ai à procura de mim mesmo enquanto profissional, muitas vezes ausente da escola, mas sempre ao serviço (tal como me ensinou João de Deus: “à procura de me tornar cada vez melhor Professor”). Fiz o que me pareceu essencial, para me valorizar enquanto pessoa e enquanto profissional. Por isso registo, com mágoa e algum arrependimento (uma vez que não foi reconhecido) todo o tempo que estive ausente da Escola e/ou em tempo não lectivo a desenvolver as seguintes actividades:


(Curriculum Laboral Gratuito)

- Nos tempos livres, realizei reuniões com Pais e Encarregados de Educação, depois das aulas, em tempos que possibilitassem a presença dos Pais, normalmente depois das minhas aulas e em Horários compatíveis com os Horários laborais dos Pais;

- Nos tempos livres, organizei mil e uma Visitas de Estudo, assumindo a responsabilidade pelos filhos de muitos Encarregados de Educação, mesmo sabendo que corria riscos, mesmo muitas vezes adiantando dinheiro a “fundo perdido” para que muitos visitassem Lisboa pela primeira vez, assistissem como espectadores estreantes a peças de Teatro, à Assembleia da República, a Filmes, a Reuniões/Encontros com outros alunos de outras Escolas e a outros e outros lugares que a minha memória já não consegue alcançar;

- Nos tempos livres, inaugurei em conjunto com outros colegas um Clube de Cinema e Vídeo, que à custa de muitos telefonemas e de muitas viagens aqui e ali para angariar fundos, se concretizou com a conquista de um Equipamento de projecção caríssimo, que ficou ao serviço da Escola e dos alunos. Recordo-me de ter vagueado por ai à procura de apoios, junto das Empresas, das Autarquias, muitas das vezes a ouvir: “não”, “não pode ser”, “não é possível”;

- Nos tempos livres, criei um Clube de Filosofia, iniciei o Projecto de Clube da Rádio e fiz parte do Jornal da Escola;

- Nos tempos livres e durante 10 anos organizei, em conjunto com outros colegas intercâmbios com Escolas e Associações de Jovens de mais de cerca de 8 Países da União Europeia, entre eles, a Grécia, a Inglaterra, a França, a Holanda a Hungria, a Suécia, Alemanha, Espanha e Itália. Tudo isto planeado e concretizado em tempos livres, digo, em tempos não lectivos e à minha custa, digo, à custa do meu tempo e de algum do meu dinheiro;

- Nos tempos livres, criei uma Unidade de Apoio (UNIVA) para consulta e aconselhamento Escolar e Profissional, o que foi feito nos meus tempos de Professor livre, sem obrigatoriedade de permanência na escola, muito à custa do meu dinheiro de viatura própria, sempre que se tratou de formalizar todo o Processo;

- Nos tempos livres, fiz a Formação Contínua desejada, mesmo para além das necessidades estipuladas pelos Créditos obrigatórios. Apostei em mim e na Escola, mesmo que para isso, me visse obrigado a deslocar-me longe, muitas vezes sem almoço nem jantar e mesmo quando a família reclamava gastos pessoais e financeiros incomportáveis. Tudo isto em tempo após as aulas, em deslocações sem ajudas de custo, sem ajudas de Fato e nem sequer tolerância de horário;

 

- Ainda consegui gastar 3 anos da minha vida num Curso de Mestrado em Ciências da Educação, que julguei fundamental para o meu desenvolvimento profissional;

- Enquanto Orientador de Estágio, durante 10 anos, coordenei com muitos dos meus colegas, muitas e muitas actividades de âmbito Educativo, interdisciplinar e cultural, que tinha por destinatários os alunos, os pais e a comunidade educativa em geral. Recordo-me do Fórum Estudante; da Filosofia para os Pais, Estética e Actividade Artística, Formação em Avaliação, em Informática, Metodologia de Projecto, Filosofia para crianças, etc, etc. Recordo-me de umas “férias lectivas” de Carnaval passadas na Escola, a passar cabo, a arrumar mesas, a decorar a sala, a providenciar o som... tudo isso a preparar uma Actividade para os alunos e para os Pais. Também deu muito prazer participar na Abertura da Escola ao Domingo (em muitos Domingos, ao longo destes anos), para a apresentação de Trabalhos, Actividades e Projectos; tudo isto, para que a Comunidade Educativa pudesse estar presente a partilhar a vivência da Escola;

- Nos tempos livres, trouxe para a Escola um Curso de Filosofia Para/Com Crianças, inspirado em Lipman e fundei um Clube único em todo o País, em que se aplicavam (e aplicam) técnicas que propiciam aprendizagens nas áreas da Lógica, da Argumentação e da Educação Moral ou Cívica dos Jovens, para níveis de 7º, 8º e 9º Anos de escolaridade;

- Nos tempos livres, integrei um Grupo de Estudos sobre Ética e Deontologia Profissional da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, do qual ainda faço e continuarei a fazer parte se o tempo e a motivação me permitirem;

- Nos tempos livres, fui Formador de Professores, partilhando com outros o que aprendi. Organizei Cursos de Formação, assisti a muitos outros, muitas vezes com espírito de missão e de sacrifício;

- Nos tempos livres, integrei um grupo de carolas que elaborou os Projectos Educativos da Escola, à custa da disponibilidade e da motivação de cada um, à noite, aos Sábados e Domingos;

- Nos tempos livres, planifiquei, reformulei, corrigi testes, fiz montagens, preparei e reflecti avaliações, mesmo que isso tivesse que ser feito ao Sábado, ao Domingo ou num Feriado; mesmo que isso provocasse protestos e más disposições da Família.

- Nos tempos livres, mesmo em horas de sair da Escola permaneci mais tempo para um apoio a um aluno com uma dúvida ou problema pessoal. Como todos os meus colegas, preenchi lacunas sociais e de âmbito familiar, sempre que foi necessária uma palavra amiga, um conselho, uma sugestão ou um grito de solidariedade. Foi com outros professores, o Psicólogo, o Sociólogo, o Amigo e até o Pai suplente, quando o efectivo estava ausente ou indiferente;

- Nos tempos livres, fui uma voz contra a discriminação, contra o racismo, a indiferença, sempre que acolhi as diferenças que fora da Escola são alvo de separatismos e de incompreensão;

- Nos tempos livres, reflecti sobre esta difícil arte de me adaptar ano após ano aos novos alunos, às mudanças legislativas, às mudanças sociais e políticas, às mudanças científicas constantes, às desigualdades que se reflectem no dia a dia dos nossos alunos, às criticas cruzadas dos pais, dos colegas, dos alunos, da sociedade que tudo espera de nós (enfim, um “fogo cruzado”, com razão de ser, mas deveras doloroso), por não conseguir estar em todo o lado, nem dominar todas as áreas. Na verdade não há profissão a quem se peça tanta actualização, tanta capacidade de adaptação e mesmo de tanta coragem para enfrentar tamanha diversidade.

 

Ainda hoje, a um Sábado à noite, me disponho (nos meus tempos livres) a escrever as minhas mágoas, a pensar o que teria feito por mim e pelos meus, senão tivesse perdido tanto do meu tempo livre, que dediquei à Escola e aos meus alunos.

Ainda hoje me admiro como é que ainda consigo gostar desta profissão, mesmo contra a “maré da opinião pública” (alguma opinião pública), que considera a classe docente como funcionários incompetentes, preguiçosos e até desnecessários.

 

É curioso que todos, mesmo os que nunca estiveram à frente de uma Turma de jovens alunos, têm soluções para a crise do Ensino e receitas categóricas para a indisciplina, para o abandono escolar, apara a desmotivação e o crescente desprestígio da Escola para as sociedades modernas.

 

Esquecem que hoje em dia tudo se pede à escola e aos professores, mesmo em assuntos e problemas que dizem respeito a outros intervenientes sociais. É pena que não vejam que a crise não está na Escola, mas fora da Escola, numa sociedade que perdeu referências axiológicas, porque o sucesso pessoal já não é sinónimo de formação, nem de instrução.

 

Têm sido 20 anos de grande dedicação, de entusiasmo e até mesmo de grande prazer. Mas também foi com muita “luta” e algumas frustrações que fiz este caminho, que não é só meu, pois nele estão muitos colegas, trabalho interdisciplinar e muitas e muitas horas. Mas, como sempre permaneceu a máxima: “ com trabalho se vencem todas as dificuldades”. E por isso dei o máximo, mesmo que seja considerado insuficiente. E por isso fiz da minha casa um Gabinete de Trabalho e do meu automóvel uma Biblioteca Ambulante e uma Viatura de Serviço. Também foi por isso que comprei todo o material didáctico, desde canetas de várias cores, correctores, folhas, cadernos, CD Rom’s, Dvd’s, Cassetes Vídeo, Disquettes, Acetatos, Livros indispensáveis à minha Formação e actualização, uma Caneta UBS e um dia destes um Computador Portátil para poder trabalhar na Escola. Foi muito trabalho e talvez pouco, se tivermos em conta as necessidades dos nossos alunos. Tudo isto e muito mais com uma assiduidade de 100% em tempos Lectivos e com uma motivação de 200%.

 

Agora, nos meus tempos de reclusão, fico limitado a um espaço exíguo, que não me deixa ver o mundo nem me deixa fazer mais pela Escola nem por mim próprio. Fica por fazer, o que, se não é essencial, é pelo menos, manifestamente importante, a saber, a descoberta, a actualização e a aposta em actividades que tornem a escola num local vivo onde se realizam efectivas aprendizagens. E se o Professor é por excelência um transmissor/emissor de Cultura, essa função passa a ficar lá fora, inacessível, delimitada por um Horário fixado pelas horas e tempos estipulados para a função pública e ao ritmo da Componente Não Lectiva e das actividades/aulas de substituição.

 

E EM TROCA destes anos de dedicação RECEBI UM “PRÉMIO”: O CONGELAMENTO DA CARREIRA, TALVEZ (digo eu, não sei) COMO INCENTIVO, como quem diz: “VÁ LÁ ESFORÇA-TE MAIS, pode ser que mereças progredir na Carreira, PORQUE A PROGRESSÃO NÃO É PARA TODOS, MAS APENAS PARA QUEM TEM MÉRITO”.

 

 

publicado por J.Ferreira às 16:47

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|  O que é?
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Avaliação - Critérios INJUSTOS Justificam Revolta!

Os professores no Chile lutaram durante mais de um mês contra a um Modelo de Avaliação TÃO ESTÚPIDO QUANTO INJUSTO... Mas a "Razão" e o "Bom-Senso" do Governo Chileno acabou por vir ao de cima.... Pena é que tenha despertado para a injustiça e estupidez, com uma greve de um mês seguido. Os professores chilenos estiveram unidos e conseguiram que o Governo desistisse do INJUSTO e RIDÍCULO MODELO DE AVALIAÇÃO que queria impor aos profissionais de Educação EM TUDO (incluindo nos descritores) SEMELHANTE AO NOSSO! Nem professores nem alunos esatão disponíveis para tolerar um modelo ditatorial e injusto.

As pseudo-reformas que este Ministério da Educação tem tentado implementar necessitam de aposentação compulsiva. Portugal tem neste Governo políticos incompetentes que buscatram problemas onde eles não existiam. Os professores sempre foram avaliados por critérios criados pelos governos de Portugal, de maioria absoluta como é o caso deos Governos de Cavaco Silva. E António Guterres, Socialista teve a oportunidade de aperfeiçoar o que estava mal... Passados mais de 10 anos, reaparece José Sócrates (socialista reconstruído que esteve com António Guterres no Governo e que como tal, fazia parte do Conselho de Ministros) atacar os professores acusando-os de terem "regalias" que na verdade nunca existiram e com a paranóia Chilena da divisão da carreira docente em duas categorias. Pretensamente, seria para escolher os melhores mas, por incompetência da Ministra (que impôs a todos critérios inadmissíveis e absurdos para determinar quem era competente!) tal não foi possível. Bem pelo contrário. Como os critérios não tinham nada a ver com competência, ltemos hoje nomeados como P*rofessores Titulares, muitos dos piores profissionais. De  incompetentes na comunidade passaram, magicamente, a Excelentes! Nada de muito grave se passaria se não tivesse deixado de fora os muitos dos melhores profissionais, de elevadíssima qualidade e competência, que agora serão avaliados pelos incompetentes...

É claro que esta barafunda só foi possível porque temos uma ministra INCOMPTENTE que decidiu basear a escolha dos professores titulares em critérios TREMENDAMENTE ABSURDOS,  que apenas servem para provar a incompetência da ministra. Na verdade, as alterações efectuadas pela Ministra ao Estatuto da Carreira Docente só vieram prejudicar e piorar o ambiente de aprendizagem dos filhos dos portugueses. Portugal teve desde 1990 uma metodologia de avaliação do trabalho dos professores que supera em muito a utilizada em países como a nossa vizinha vizinha Espanha. Quem já investigou no terreno sabe  que é verdade e só pode confirmar o que acabámos de afirmr. Se é verdade que poderia ser melhorada, não é menos verdade que a metodologia e estratégias utilizadas pela ministra foram uma autêntica aberração que provocou uma desgraça total no sistema educativo. As melhorias a introduzir. E era possível melhorar o sistema. Basta  pensar sobre o seguinte: na formação contínua havia docentes que eram avaliados negativamente. Mas, apesar de dispor de uma enorme quantidade de inspectores,  nunca o Ministério quis saber os motivos por que os professores não obtinham os créditos a que eram obrigados nem se interessou em investigar a sua qualidade como profissionais. Porém, e de uma forma totalmente irresponsável (característica de quem é incomptetente como esta ministra e a equipa que a rodeia!) Maria de Lurdes Rodrigues, com o apoio incondicional do Primeiro-Ministro José Sócrates, destruiu o que de bom havia insultando todos os professores sem distinção. Acusando os professores de serem  um grupo profissional que tinha um conjunto de mordomias, conseguiu o apoio do POVO FÁCIL DE ENGANAR COM MENTIRAS REPETIDAS. OS PROFESSORES NUNCA TIVERAM QUAISQUER MORDOMIAS. A não ser que considere como mordomias o facto de OS PROFESSORES PAGAREM TUDO DO SEU BOLSO. Desde a deslocação casa-escola (os funcionários judiciais deslocam-se gratuitamente nos transportes públicos!), ou, quando não há transportes públicos a servir a escola, a gasolina, o seguro, a desvalorização e o desgaste do carro (pneus, gasolina, travões, etc.), os computadores, as impressoras, os tinteiros, o papel, ...  até à energia que usam em casa para servir os alunos... etc...!). Se antes estava algo que poderia ser melhorado, agora tudo pode ser melhorado pois é um Sistema ABSURDO que nada avalia do trabalho do professor. E isto por imensos motivos que estão já demasiadamente explanados e dissecados noutros textos.

Temos, pois, um governo sem escrúpulos. Tão cego que não olha a meios para atingir os fins, pois está a destruir um sistema educativo que não sendo perfeito, era muito mais democrático, mais funcional e sobretudo mais justo. Estamos hoje a ser governados por políticos (alguns deles professores!) que apresentam uma mentalidade mais curta que a dos governantes terceiro-mundistas como o Chile.

 

Está na hora de ponderarmos na necessidade de fazer greve por tempo indeterminado. E o argumento de que o ordenado nos faz falta aos professores não serve. Temos em Portugal famílias a pedir empréstimos para ir de férias... Será que pedir um empréstimo para defender a dignidade da profissão não é importante? Seguramente que não há professor que não consiga obter de uma instituição bancária um empréstimo para viver um mês... Vamos fazer os pais sentir que lhes fazemos falta... Um ou dois dias de greve de nada serve... UM MÊS DE GREVE... Que Sócrates seja forçado a fazer a REQUISIÇÃO CIVIL... MAS QUE O FORCEMOS A FAZER (se é que se aplica este caso!)... É pFaçamos uma GREVE POR TEMPO INDEFINIDO ... É PELA DIGNIDADE A QUE TEMOS DIREITO e não por mais uns cêntimos. Se continuamos apegados a 1500 euros, no futuro próximo, bem a curto prazo, vamos perder muito mais do que isso... Se os professores não liutam na hora certa, cada vez caminhamos mais para o abismo. Estamos a ficar desprofissionalizados... Será que os professores estão dispostos a aceitar o que o nosso "patrãozinho" decidir dar de vencimento? Até que nível estamos dispostos a baixar? Até ao nível da pobreza, da ida ao banco alimentar pedir para comer? para muitos colegas, já faltou mais... DIGAMOS TODOS: BASTA !!!.

Creio que não será necessário mais de uma ou duas semanas  para que os pais (que também somos, claro!) comecem a preocupar-se com a educação dos seus filhos. Muitos nem conseguem aguentar dois ou três filhos ou netos mais de 15 dias de férias em casa! As eleições estão aí à porta...

"Unidos na Acção" podemos obrigar o governo a ceder!... Basta de cortes no Orçamento da Educação. Vejam o que se passa no vergonhoso mundo da política: em  2004 Eurodeputados Portugueses bateram-se por mais euros, mas alemães e suecos tramaram aumentos...  Afinal, conseguiram aumentar-se em 2009. Percebem agora por que qtodos querem ir para o Parlamento Europeu? Em tempo de crise, esta NOVA EUROPA (que quer recusar aos cidadãos o referendo sobre o tratado) aumenta os salários dos eurodeputados em 125%. Notem bem... Isto passa-se em tempo de crise! Imaginem como se comportarão quando estivermos em crescimento económico!... Não me venham com esta de que "não há dinheiro!" ... Que grande lata, não?

Ainda assim, não desistiram de alcançar os seus objectivos e, a partir de Junho de 2009 já têm garantido o aumento de 125% nos seus salários... É um facto... E Sócrates nem fala disso... Como são avaliados os deputados?  Nas eleições...? Ora vão bugiar, meus caros... Mas o dinheiro para os seus salários SUPER CHORUDOS vai ter de aparecer... Como? Para já, se os deixarmos, os professores serão os que primeiro vão desembolsar reduzir-lhes a carreira que era já um legítimo "direito adquirido"... Ainda que as notícias sobre o caso tenham desaparecido dos jornais electrónicos (vá-se lá saber ou entender o "porquê"!... que andam por estas bandas...  Se há colegas preocupados com um mês sem o vencimento... que se preparem pois o que perdem é milhares de contos... E, qualquer dia, nem direito à Reforma vamos ter...

Não podem perder um mês de ordenado? Deixem-se amedrontar e em breve Sócrates virá com a ameaça de vos retirar o "direito ao emprego" . Sem emprego, morrem no mês seguinte? Não! Está na altura de fazer um pequeno sacrifício perante o que se avizinha! E um mês de ordenado é um pequeno sacrifício perante o que estamos na eminência de perder!  Professores, coloquem os vossos olhos no exemplo Chileno!
Vamos ser a única classe profissional, no único país do mundo a vser vítima de uma avaliação profissional baseada em critérios injustos e que em pouco ou nada dependem do professor (resultados escolares, absentismo dos alunos, abandono escolar dos alunos!), para além de uma divisão artificial e absurda da carreira docente. Abram os olhos!

A greve por tempo indeterminado é cada vez mais a única saída para a queda completa deste modelo de avaliação. Temos de espalhar esta ideia rapidamente, sobretudo agora que os sindicatos vão dar a luta por estagnada de novo e o modelo saiu em Diário da República obrigando a que as escolas façam a avaliação sob hipótese de despedimento dos avaliadores que se neguem a avaliar e processos disciplinares aos elementos do CE que não apliquem o modelo.
E nem vale a pena que os colegas peçam para não ser avaliados, pois isso implica que não progridem garantidamente e isso é só o que interessa ao governo, pois querem lá saber da avaliação...

Os professores ainda não recuperaram nada do que merecem ver reconhecido no seu estatuto. Há que endurecer a luta.

GREVE POR TEMPO INDETERMINADO.... JÁ !

publicado por J.Ferreira às 14:19

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Partidocracia - 1; Democracia Parlamentar - 0

 

O Público noticiou "PS chumba projecto do CDS-PP para suspender avaliação dos professores".

 

 

Não é preciso ser-se muito inteligente para perceber que ESTE PROJECTO tem em si uma marca especial:  BOM-SENSO. Pode até ser criticável, mas seria muito mais EXCELENTE que o do Ministério. Para além de tudo, CONGREGA OS VOTOS DE PARTIDOS TÃO DISTINTOS (e de alguns corajosos do PS...) Ficaram muitos professores submetidos a imperativos de chefes... Como COVARDES que foram incapazes de dizer NÃO. Mas dentro do partido Socialista há quem permaneça atento. Manuel Alegre parece ser um deles... Será mesmo?

 

"Manuel Alegre criticou hoje o discurso do ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, sobre liberdade e responsabilidade, avisando que não responde perante nenhum membro do Governo."

 

 

Força... Senhores Deputados da Oposição... Água mole em pedra dura... tanto bate até que fura! Há pois que insistir!... Fazer como José Sócrates: foi preciso insistir... insistir... insistir... com ele para que chegasse a engenheiro. Agora há que “bater no ceguinho” até que ele abra os olhos...   Augusto Santos Silva (ministro dos Assuntos Parlamentares) considerou, durante o debate que o chumbo do projecto do CDS-PP representaria "a vitória dos deputados livres que não se deixam chantagear, daqueles que não estão na câmara corporativa a defender interesses profissionais" e que "estão na Assembleia da República a defender os interesses dos portugueses".
Qual “a vitória dos deputados livres que não se deixam chantagear” Qual quê? Foi a vitória dos carneiros... O REBANHO VAI ATRÁS DO PASTOR, MESMO QUE ELE OS LEVE PARA O ABISMO. Assim se passou com o Titanic... Os donos do navio obrigaram o Comandante a “meter mais lenha”... Depois foi o que se sabe! Estes comandantes chegaram ao lugar que ocupam, nao por competência ou sabedoria (como os comandantes, ou os professores!) Antes chegaram por eleiçao... Ora, já se sabe que qualquer demagogo pode prometer a todos um óptimo sonho ao anoitecer mas, ao despertar, o que muitos descobrem é um pesadelo. Em Portugal temos governantes que aqui se encaixam perfeitamente!).
Com efeito, o PROJECTO DO CDS-PP APENAS foi rejeitado devido à DISCIPLINA DE VOTO... Esta é a arma dos PARTIDOS numa PARTIDOCRACIA. Se não consegues convencer os teus concidadãos pelas palavras e pelas práticas, obriga-os a obedecer à direcção do partido... ISTO SÓ É POSSÍVEL NUMA PARTIDOCRACIA (DITADURA DOS PARTIDOS) NUNCA NUMA DEMOCRACIA!...
ESTAMOS SEGUROS DE QUE, SE O PS PROPUSESSE UMA LEI PARA CONDENAR À FORCA A CARREIRA DOS JORNALISTAS (é inconstitucional, mas para estes vale tudo! Ditadura, é Ditadura!...) TUDO MUDARIA DE FIGURA...! Assim, muitos dos comentadores que falam do que não sabem passariam a ser informados devidamente. E, já agora, que o Partido Socialista voltasse a fazer o mesmo: DISCIPLINA DE VOTO. Depois gostaria de ver o comentário de muitos dos jornalisats... Creio que os jornalistas ainda nem perceberam o que está em causa... E querem condenar professores totalmente inocentes, atribuir-lhes uma responsabilidade que não têm! E os políticos responsáveis lavando as mãos sujas da irresponsabilidade (como pilatos!). E os pais também pela educação que não deram aos filhos: comprando-lhes o que lhes não faz falta para aprender, mas que não lhes dão o que mais precisam: Meios Educativos. É bem mais fácil culpar os professores!
Por muito que se queira mistificar, ocultar, esconder... todos devem ter bem presente o objectivo expresso por José Sócrates, numa das suas palestras a que Freud chamaria de "acto falhado"... Lutaremos para um PAÍS MAIS POBRE... Há que cortar nos salários dos professores!... Há que fechar maternidades, escolas, centros de saúde... Viva o NOVO SOCIALISMO....

 

«Trova do Vento que Passa»
Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.

Manuel Alegre

 

 

 

 

 

publicado por J.Ferreira às 14:03

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

Socialistas Sacodem a Água do Capote


Preâmbulo PS: Infelizmente, tínhamos razão na análise. Manuel Alegre e os OUTROS que mudaram COBARDEMENTE o Sentido de Voto ... Vejam a Notícia no Público. É incrível mas estes socialistas vêm agora, cobardemente, tentar sacudir a água do capote… Mas o Zé Povinho está de olhos cada vez mais bem abertos… Ainda que o ódio aos professores seja um mal nacional, uma bandeira empunhada por estes ditadores socialistas que nos (des)governam (tal como Hitler enaltecia e proclamava o ódio aos Judeus!) com a certeza de que tudo o que vai correr mal (e não será pouco, seguramente!) será de novo culpa dos professores.

 

"O PS chumbou hoje os projectos do PSD, Bloco de Esquerda e “Os Verdes” para suspender a avaliação dos professores, com os votos favoráveis de todos os partidos da oposição parlamentar. O documento social-democrata contou com a abstenção dos socialistas Manuel Alegre, Teresa Portugal, Júlia Caré, Eugénia Alho e da independente socialista Matilde Sousa Franco, com 114 votos contra e 109 a favor."

 

Professores! Na votação dos "projectos do BE e do PEV, Matilde Sousa Franco também se absteve". Ora, como se fazem muito bem as jogadas socialistas... É a prova de que josé Sócrates é mesmo engenheiro. Com efeito, bastava o voto de Manuel Alegre que se absteve nesta votação e teresa Portugal para que o projecto fosse aprovado... Pena. Mais uma oportunidade perdida para Manuel Alegre.

 

SOCIALISTAS OS ÚNICOS QUE ANDAM CERTOS...

 POR ISSO... CHUMBARAM TUDO...!
 

Diz-se por aí, em comentários às notícias sobre a proposta de lei do PSD sobre a suspensão da avaliação dos professores, que "se os Deputados do PSD não tivessem faltado à votação no parlamento"(...)"não estavamos a assistir a este triste espectáculo?" Como não foi capaz de ver nisto tudo um acto de demagogia dos socialistas que votaram ao lado da oposição? Só o Zé-CEGUINHO é que não entenderá esta jogada suja dos deputados Socialistas sem carácter que, afinal mudam de opinião em 15 dias. Nunca a lei do CDS-PP teria sido aprovada! Os Socialistas que votaram ao lado da oposição que mantenham o voto ou não passam de oportunistas que se servem da política. Este volte-face é inadmissível! Ainda assim, pode crer que concordo, e a 100%, com a sua última frase. Mas, os PALHAÇOS agora são os que andam como cataventos a gozar com os que os elegeram. É TRISTE, MANUEL ALEGRE e demais deputados do PS: perderam a credibilidade! Não contem com o meu voto NUNCA MAIS!

Incrivelmente... isto vai suceder neste País de COBARDES... Por que motivo se diz que o PSD chegou atrasado? Diz o PS que agora o PSD pretende "reparar o episódio das faltas ao debate do início de Dezembro sobre a suspensão da avaliação dos professores." MENTIRA. Já na altura afirmámos que o PS nunca deixaria que o CDS-PP levasse a sua avante. Saberia muito bem USAR a DISCIPLINA de VOTO para fazer valer o seu AUTORITARISMO DEMOCRÁTICO. Na verdade, se  em Dezembro houvera mais deputados nas bancadas da Oposição do que na do Governo, teríamos seguramente chamadas urgentes para todos os Deputados Socialistas faltosos e ordens expressas para obedecer à DISCIPLINA de VOTO para CHUMBAR a Proposta do CDS-PP, tal como agora se vai verificar na votação da proposta do PSD sobre suspensão do Modelo HORRÍVEL e PERSECUTÓRIO da Avaliação de Professores.

 É certo que emitimos exactamente este comentário, no mesmo dia em que chumbou a proposta do CDS-PP em Dezembro, contra o discurso e análise simplista de muitos professores que culpabilizavam os deputados faltosos do PSD... Não temos qualquer mandato apra defender quem quer que seja e, como podemos provar em artigos anteriores, não poupamops partidos porque a todos "odiamos" pelo simples facto de que se servem do nosso voto para chegar ao poder e depois fazem "tábua rasa" das promessas eleitorais.

 Mas não se enganem. Ainda que a proposta do CDS-PP tivesse sido aprovada naquela semana de Dezembro, seguramente que estes tiranos e "ditadores" Socialistas, agendariam imediatamente e numa nova sessão parlamentar, uma nova lei apra a revaliadar... Não se enganem... Eles são assim. Recordamos outros ditadores: Mao Tse Tung (socialista), Estaline (socialista), Lenine (socialista) e, Hitler (socialista) simplesmente para que não deixemos que estes cheguem tão longe. Já mostraram com o que fizeram prepotentemente na saúde fazendo valer através dos órgãos de informação (comunicação social) a máxima do ministro da propaganda de Hitler "UMA MENTIRA MUITAS VEZES REPETIDA TRANSFORMA-SE NUMA VERDADE!. Agora, estão a fazer com a Edcuação... Tentaram fazê-lo com a Justiçá mas tiveram imediatamente um revés pois, com os juízes não brincam (porque têm poder... Porque lhes podem inviabilizar os efeitos das leis... Por isso, estes socialistas jogam com a máxima "se não podes contra eles, junta-te a eles ou faz com que se juntem ao teu exército!"... Afrontaram os Militares e recurram... Afrontaram os Jornalistas querendo obrigá-los a revelar as fontes e recuaram... Agora, todos unidos, lutam contra os professores...  Quem não se farta de ver alguns jornalistas, autênticos energúmenos a escreverem sobre o que nada sabem e/ou nada entendem? Que escrevem? Insultos, banalidades, mentiras, sem direito de defesa... É isto a democracia? Ou será que neste país reina o imperialismo da partidocracia? Será que vivemos num estado muito didferente daqueles que têm partido único (como no tempo de Salazar)?

Quem atacam os políticos: os desprotegidos... Atacaram os direitos constitucionalmente garantidos (chegam mesmo a afrontar as competêncais do Sr. Presidente da República querendo-o obrigar com normas inconstitucionais...!). Alertados por todos os partidos da oposição e pelo Presidente da República, estes socialistas teimam  em querer impor a sua vontade única ao país contra tudo e contra todos? Depois vêm dizer à comunicação social que, "se for declarada inconstitucional retiram-se essas normas"?! Não! Meus caros... Se teimam em aprová-la e é inconstitucional, demitam-se! Não tinham jurado cumprir a constituição? Então? Demitam-se! Porque são uns incompetentes!... Ou só querem avaliar os demais? Onde está a competência dos deputados? Não está em CONHECER E CUMPRIR A LEI FUNDAMENTAL? Não cumprem?... Processo disciplinar por incompetência! E, se for caso disso, expulsão do parlamento! E ponto final! Há mais candidatos que estão nas listas à espera de um lugar...!

Mas não... Esta democracia cada vez afasta mais os eleitores das mesas de votro e do interesse pela política. Os políticos operdem cada vez mais o seu crédito! Fecharam hojspitais, encerraram urgências, tudo "para o bem de quem é estúpido e não entende que faz falta poupar mais uns milhares de euros para encvher os bolsos de uns quantos nomeados pelo Governo! Estes políticos lutam não pelo bem estar dos portugueses mas contra os portugueses! Começaram na saúde e chegaram à Educação. Quem será o senhjor que se segue? Primeiro venderam a ideia que a restruturação do sistema de saúde era para melhorar o acesso à saúde das populações. Mentira. A saúde piorou.. Mães dão à luz nas ambulâncias ou vêe-se obrigadas a ir a Espanha para terem a assistência médica que necessitam... Doentes morrem antes de serem assistidos pelo INEM... etc. MENTIRA. A reforma na saúde serviu apenas para aforrarem milhões de euros!

Depois venderam a todos os portugueses a ideia de que o encerramento das escolas era para melhorar o sucesso educativo dos filhos. mentira.   MENTIRA. A reforma na Educação aumentou a diferença entre os que residem longe da escola e perdem o tempo em viagem ou à espera dos transportes não lhes sobrando tempo para estudar e os que residem mais perto das escolas e o tempo chega-lhes para estudar e ainda sobra para brincar...

 

Depois alteraram-se os concursos dos docentes argumentando que assim "os pais já sabem qual o professor do filho nos próximos 4 anos!" Mentira. A continuidade só existe quando penaliza o professor. Se as turmas têm menos de X alunosm, o estado está-se nas tintas para a continuidade do professor na escola ou na turma, desfaz as turmas, encerra as salas de aula, ficam alunos de 3 ou 4 anos de escolaridade na mesma sala... ECONOMIZAR é a ordem... Para o POVO sai a ideia de qeu quer continuidade para o sucesso... Depois venm com a teoria da avaliação dizendo que muitos professores (a maioria pois apenas 25% podem ser Muito Bons ou Excelentes!) e como tal, apenas poderemos dizer: Depois vem este governo dizer que é necessário avaliar os professores porque são os culpados do insucesso escolar já que muitos "são incompetentes", "não sabem trabalhar em equipa", são culpados das "faltas dos alunos", são culpados do abandono escolar ...etc.

 

A prova de que esta é a MAIOR MENTIRA SOCIALISTA DO SÉCULO XXI é que se isto fosse verdade, então o concurso teria de ser apenas por um ano escolar e não por 4 anos! A verdade é que, os pais podem estar tranquilos pois temos dos melhores professores da Europa. Claro. Que têm imensa dificuldade em fazer omoletas sem ovos, é verdade. Mas que muitos o fazem à custa dos ovos que levam de casa, do dinheiro que gastam em fotocópias, em tinteiros para imprimir documentos para que as crianças possam desenvolver as suas competências na escola, em computadores que colocam ao serviço dos filhos dos portugueses e que o Estado não paga!... Saem do salário, muitas vezes com sacrifício pois, contrariamente ao veiculado pelos governantes, os professores nunca tiveram mordomias: nunca tiveram viatura nem combustível pago pelo Estado, nunca tiveram motorista, nunca tiveram ajudas dfe custo apra as deslocações... Antes, e pelo contrário, muitos pagavam do seu bolso os tinteiros que gastaram para servir a escola. Quantos não tiveram de pagar do seu bolso o papel, o giz e até o papel higiénico que os alunos usavam na escola, telefonemas para encarregados de educação... etc. etc.

Haverá, por certo, alguns que se desmotivaram e desinvestiram na educação e `por isso, serão hoje menos competentes! Pode ser que sim... Mas a inspecção escolar existe..., não é verdade? Por onde andou estes anos todos? Que relatórios apresentou do estado da edcuação? Publiquem-nos! os professores fizeram o seu trabalho, com empenho, orgulho e brio profissional. não aceitam que por uma meia dúzia se manche toda uma classe... Afinal para que existem centenas de inspectores? O Governo não os mandou ou não deixou fazer o seu trabalho? E agora culpam os professores todos porque encontraram algum menos competente ou até mesmo incompetente?

Pois bem, caros portugueses. Se esta não fosse e o concurso para 4 anos e os pobres que lhes tocasse um desses professores menos competentes para os 4 anos estaríam... já imaginam como. Condenados ao fracasso escolar...

 

 

 

Mas a verdade é que a maioria dos professores em portugal são BONS e MUITO BONS e, muitos deles são mesmo EXCELENTES, só não fazem é omoletas sem ovos, mas quase!... ) povbres dos portugueses dos professores , o desmoraliza por estar longe dos filhos e da família! Se os alunos !... serviu apenas para aforrarem milhões de euros! era pelos vossos filhos dos portugueses! ... impostos  para a revalidar… Alguém duvida disso? Pois a prova estará brevemente à vista... Esperemos pela votação e teremos a prova mais que evidente de que esta análise é a correcta.

O Partido Socialista está a agir em conformidade com a sua ideologia. Se o Governo é de um partido de Direita e não ouve os seus eleitores é uma DITADURA FASCISTA! Se for um Governo de Esquerda já pode fazer o que bem quer e lhe apetece? E rotularam os governos de Cavaco Silva de "DITADURA DEMOCÁTICA"? Então? Que fazem agora? Ainda agem muito pior.

Esperemos que haja coragem de MANUEL ALEGRE e demais socialistas que votaram a favor da porposta do CDS-PP e que agora mantenham a sua verticalidade de pensamento... Caso contrário, este grupinho acabará  por cavar a sua própria sepultura política, perante milhares de professores que viaam neles alguma esperança de mudança face à linha socialista de José Sócrates... Mas enfim... Esperemos para ver...

Uma coisa é certa... Digam o que disserem... Nunca mais podem dar o dito por não dito... Pena que o Socialismo em Portugal siga o caminho do Socialismo mais desumano de outros países que o abandonaram...
Chegamos ao Socialismo da DEMAGOGIA e da MENTIRA!... O voto de Manuel Alegre e outros Socialistas em 5 de dezembro, são a prova mais que evidente das jogadas políticas, e demonstram simplesmente a hipocrisia e cobardia destes SOCIALISTAS de meia tigela. Com efeito, votaram a favor da suspensão só para poderem atacar a oposição de não ter aprovado por ter faltado ao parlamento. Só uma análise cega, simplista, permite que se chegue a estas conclusão... Não tenham dúvidas os professores... Todos os socialistas são iguais... simplesmente alguns ainda tentam enganar os mais desatentos... Por isso alguns votaram favoravelmente no dia 5 de dezembro e agora votaram contra para não passar a lei do PSD... COBARDIA... Apenas demonstram a FALTA DE CARÁCTER que caracteriza muitos destes socialistas... Em 5 de dezembro, sabendo da falta dos opositores, não receberam ordem de DISCIPLINA de VOTO e tiveram capacidade de intervenção... Agora, tal como muitos que se juntavam à PIDE para castigar porque era o seu ofício, muitos destes se associaram ao voto Socialista para garantirem os seu futuro, ainda que seja crucificada a carreira de muitos professores competentes avaliados por outros incompetentes (e que chegaram a Titulares porque de 1999 a 2008 nunca tiveram problemas na via e não necessitaram de faltar, mesmo que antes tenham faltado até dizer chega... Desgraçadas das professoras que foram mães de 1999 a 2006 que ficaram para trás por terem sido... mães... E não digam que é demagogia pois foi o governo do partido Socialista e de José Sócrates chefiado por António Guterres que queria antecipar a idade da reforma Agora vejam quantas foram penalizadas por terem de cuidar de filhos que serão os contribuintes do futuro... SOCIALISMO... NUNCA MAIS!

 

publicado por J.Ferreira às 18:51

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

Força da Razão contra Razão da Força

 

 

A todos os anónimos deste país que insistem em não entender ou em não querer ver a Razão dos Professores.

 

Confesso que não entendo as razões apontadas por muitos dos caríssimos anónimos que não conhecem minimamente o sistema de avaliação do desempenho dos docentes que a Ministra pretende implementar... Assim, ver repetidamente escritas e publicadas barbaridades sobre este tema leva-nos a publicar este artigo, manifestando o nosso repúdio contra todos e quaisquer comentadores que, sem entenderem nada do assunto, sem quaisquer argumentos válidos têm a "lata" de pronunciar ou escrever apeloss a que a Ministra vá em frente, mais parecendo que têm ódio aos professores, quizás como forma de descarregar em alguém as frustrações e recalcamentos de seus próprios insucessos.

Assim, é comum pelas páginas de notícias sobre o tema, surgirem comentários semelhantes aos que a seguir expomos: "o problema está na má qualidade das aprendizagens no ensino escolar público. Aprende-se pouco e mal", tendo este texto surgido na sequência do comentário que ali postamos, em clara manifestação de repúdio e indignação.

Confesso que justificar que se avance com uma avaliação absurda e injusta, irreversível nos males que pode causar a tantos e tantos professores e consequentemente à Educação no nosso país só porque na escola pública alguns alunos (Sim, apenas alguns.!.. Ainda que sejam muitos no total, são alguns comparados com a totalidade dos alunos do ensino público!) não se empenham o suficiente ou não têm "capacidade" para obter os resultados que obtêm os alunos que se inscrevem no ensino particular (ou têm poder económico para se inscrever e pagar as mensalidades, a maioria deles, oriundas das famílias de elite da localidade onde estudam...)... Alguém tem dúvida?

Simples... Que se investigue o rendimento médio per capita das famílias dos alunos que frequentam o ensino público... e que se investigue também o rendimento per capita dos alunos do ensino privado ...

Que investiguem o nível médio das habilitações dos familiares (pais e mães, tios ou avós) que vivem e convivem diariamente com os mesmos alunos, quer para o ensino privado quer para o público... E que e vejam quantos do ensino privado não são "meninos do coro"...

Depois... Depois, que o Governo tenha a coragem e a dignidade de publicar os resultados... No final, sim... Se os resultados forem equivalentes, qualquer português poderá dizer aos professores do público que são incompetentes face aos do privado. Enquanto isso não for demonstrado, exigimos que alguém, seja ele engenheiro, padeiro ou pintor... ou simplesmente "comentador de meia tigela" (sobretudo o mais dotado de entre eles, que dá pelo nome de Miguel de Sousa Tavares!) nos explique e demonstre "como fazer omoletas sem ovos?"

Por fim, vejam e analisem o sucesso económico, social e cultural dos familiares dos alunos que frequentam um e outro sistema de ensino... Seguramente que depois de tudo isto, deixarão de massacrar os professores do ensino público: estes que sempre deram o máximo de si, o seu tempo e a  sua vida, para que cada um dos seus alunos possa chegar o mais longe possível, respeitando as suas capacidades...

Sei que todos gostariam de ter o último nível de sucesso. Nós também gostaríamos. Mas respeitamos as diferenças dos alunos. E... sabemos muito bem que nem todos os jogadores de futebol podem jogar no Benfica, no Porto ou no Sporting? E isso nem é importante. Afinal, nesta data é o Leixões que é a sensação do Campeonato: 2º Lugar, apra um clube que ninguém dá por isso! Mas, milagres destes... Só uma vez em cada década! 

Que esperavam? Que os alunos de famílias a quem não lhes faltam recursos materiais (livros, dicionários, enciclopédias...) nem recursos humanos (sejam eles os pais em casa que têm habilitações superiores aos seus filhos e como tal os podem acompanhar no estudo, seja mediante pagamento de apoio extra com explicadores a fim de alcançarem, não a positiva a tudo mas a média desejada para ingressar directamente no curso e na universidade pretendida!)

 

O importante é a realização pessoal de cada um... Saber que deu o máximo de si... Nem que não chegue ao mesmo nível do companheiro. Avaliar os alunos +é comparar o que é capaz de fazer hoje com o que era capaz de fazer ontem. E um aluno que antes conseguia apenas um nível de 6 valores a Matemática e agora alcança 9 valores, continua na negativa! E reprova! Incrível... Progrediu mais que o alunos que tinham 11 e agora  têm 13 valores. Qual deles merece ser elogiado? Pois... Pois... Sucesso apra o que regrediu. Insucesso para o que progrediu!

Agora, façam mais este exercício:

 

 

É esta a justa avaliação? Não, para nós! Mas é esta que os governantes valorizam e colocaram na lei! E os professores não podem lutar contra todas as leis...  Por que esperam os pais para exigirem a valorização dos seus filhos? Que os professores esqueçam o que afecta as suas vidas e que lutem para defender os seus filhos quando os pais se unem contra os professores?Por que esperam os portugueses? Alimentam que ilusões? Que os jogadores das equipas distritais consegam ganhar a taça de Portugal?

Muitas das frases que surgem nos comentários em jornais online não passam de falácias... quando não mesmo de mentiras. Estas afirmações, mais do que falta de reflexão de quem as profere, são o exemplo paradigmático da vontade recalcada de muitos cidadãos de fazer  passar à prática uma máxima atribuída ao alemão Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista de Adolf Hitler, segundo a qual, "uma mentira repetida se pode transformar numa verdade!” Ora, quem afirma semelhante coisa carece, certamente, de clarividência ou de seriedade.

 

Expliquemos a falácia com um paralelismo entre Educação e Futebol porque parece que deste último é o que mais portugueses percebem (ou parecem perceber, a julgar pelos treinadores de bancada ou aos microfones das rádios ou de canais de televisão!). Os meus caros sabe que tipo de jogadores jogam na distrital, verdade? Sim… E também sabe que tipo de jogadores tem o Manchester, o Real Madrid, o Milão, o Barcelona, o Porto ou o Benfica... verdade? Sim!

Agora, diga-me: quando assistimos a um jogo da distrital temos determinadas expectativas e podemos sair de lá satisfeitos, verdade? Pois bem. Mas certamente não gostaríamos de sair de um jogo entre Benfica e Porto com a sensação de que estivemos a assistir a um jogo da distrital... Verdade? Continuemos. Muitos dos adeptos saem satisfeitíssimos de assistir ao seu clube da terra a jogar contra um clube rival vizinho (ainda que percam o jogo!), não é verdade? Basta que reconheçam que o rival tem jogadores mais fortes, com maior técnica... Até mesmo entre a primeira divisão podemos sentir sensações semelhantes.

Facilmente reconhecemos existir qualidade nos jogos entre clubes da distrital (onde os jogadores praticam desporto após a sua jornada de trabalho!) como da 1ª liga (onde os jogadores são especializados naquilo que fazem). E ninguém exige que o clube da regional ganhe a Taça de Portugal… Porquê? Simplesmente, reconhecem as suas limitações.

A diferença entre a escola Pública e a privada não está apenas no estabelecimento como espaço físico (estádio, para o caso do futebol)... Ela está também e acima de tudo, nos alunos (jogadores)... E não nos treinadores (professores). Se assim não fosse, por que motivo o Estado não contrata para o público os professores  que foram para o privado (a maioria por falta de qualificação que lhe permitisse um lugar no público, ou por questões de ficar mais perto de casa) uma vez que o Estado dispõe dos professores para os colocar onde bem entende, sem respeito pelo direito à família (mas reconhece o direito ao reagrupamento familiar dos imigrantes!), desde Viana do Castelo a Tavira, passando por Bragança, Covilhã, Sines... (sem qualquer ajuda de custo)...

Enfim, será que o tipo de alunos que frequentam as diferentes Escolas Públicas do país (situadas nas aldeias, nas vilas, nas cidades ou na capital ou que os alunos de um bairro social (arcado pela degradação e pelo desemprego) têm as mesmas condições que os de uma escola privada onde só andam os que têm condições para pagar?

Ainda assim, meus caros, posso assegurar peremptoriamente que as minhas filhas não adoram... elas amam a Escola Pública. Têm orgulho na Escola que representam. Para a  minha filha mais velha, o nome ESAS é um Hino. E, na mesma turma em que aprende, existem outros alunos excelentes mas também alunos que o não são. Assim, apesar de estarem todos na mesma turma, com os mesmos professores e as mesmas aulas, há alunas que conseguem obter notas altas... Uma delas, minha filha, tem 20 valores a todas as disciplinas (com excepção de Português que conseguiu "apenas" 19 valores!). Como se explica?  Creio que se entende: ou é porque ela é inteligente (não a creio sobredotada!) e os restantes alunos não são... ou é porque enquanto ela vai para a Biblioteca enquanto os amigos que reprovam vão para a  discoteca!

Não tenho dúvida de que, enquanto a minha filha prefere assistir a programas da “Discovery Channel” onde aprende a conhecer o mundo e a ciência, os restantes ou preferem rir-se com as parvoíces galhofeiras proporcionadas pelos "Simpsons” ou  até abanar o capacete com a música barulhenta na “MTV”…

Enquanto a minha filha recorre ao computador para fazer as suas pesquisas na internet (porque o tem, como muitos alunos ou quase todos os alunos das escolas privadas enquanto os das públicas se terão de contentar com o “Magalhães”…!) muitos dos alunos preferem a playstation ou a X-Box…

 

 

Como devo classificar os professores da minha filha? Com "Excelente", adivinho que digam, pois claro! E como acham que esses mesmos professores vão ser classificados pelos pais dos alunos que reprovam? Com "Insuficiente", não é verdade? Claro os filhos reprovaram!$

Questiono pois: É esta uma avaliação séria?

 

Imagino que o leitor esteja a acenar com a cabeça que “Não” (uma vez que creio que o leitor é um ser inteligente!). Pois bem! Então... Que me diz à proposta desta Ministra avaliar os professores usando como critério “o resultados dos alunos”? Acha justo? Não? Claro… Só uma ministra incompetente poderia aceitar que um professor pudesse ser, simultaneamente, besta e bestial…!

Apenas mais um exemplo do absurdo do sistema de avaliação que esta Ministra quer implementar: Se uma empresa oferece umas férias a um cidadão que leva a família (e, obviamente, os filhos (alunos de um qualquer professor) consigo tendo por isso de faltar à escola durante mais de 15 dias (absentismo discente), a culpa é do professor? Imagino que me diga que “Não!”. Finalmente, se o pai levar o filho consigo para a feira ou o empregar numa empresa sem que a inspecção o detecte, o aluno passa a faltar à escola (abandono escolar) a culpa também é do professor? Imagino que esteja também a abanar a cabeça de modo negativo… Pois bem:

Se não concordou com a nossa indignação, também não vale a pena explicar-lhe por que motivo lutam os professores contra esta ministra e este sistema de “avaliação de desempenho” tremendamente injusto. Com efeito, se não entende que estes critérios tão simples não dependem da vontade nem da competência do professor, jamais iria entender os outros absurdos deste modelo que são bem mais complexos!

Se concordou com a nossa indignação face a estes dois critérios porque constata também que são absurdos, apenas temos a perguntar-lhe:

“Por que espera para se juntar à Luta dos Professores” ?

 

 

 

Vamos agora ao que pretende a Ministra: que os pais avaliem os professores. Pergunto:

Como deveria ser avaliado um aluno que no início do ano conseguia 18 valores a Matemática e que no final não passa de 11 valores? Afinal, regrediu... Pois bem! Este aprova e um aluno que passa de 4 valores no início do ano para 9 valores... Reprova! E os que antes tinham 18 valores e agora apenas conseguem 14 valores?

publicado por J.Ferreira às 00:41

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Terça-feira, 2 de Dezembro de 2008

Tenho Vergonha de Dizer "Sou Professor"

Sim... !  Falando a verdade pura, dura e crua.

Em Portugal tenho vergonha de dizer: "Sou Professor"!

 

É triste mas é verdade... Depois de tanta mentira e manipulação da Opinião Pública e de tudo quanto este Ministério da Educação SOCIALISTA tem feito contra os professores, quando estou em Portugal, se me perguntam "O que fazes?" imediatamente adopto a atitude dos políticos: mudo de conversa, sigo a estratégia dos políticos e recorro à "inverdade" (esse eufemismo do politicamente correcto para designar o que o meu avô me ensinou a chamar de "mentira"!), se quero ser olhado com dignidade e respeito, sou forçado a dizer que sou empregado de mesa, varredor de ruas, calceteiro, padeiro, trolha..., enfim, qualquer profissão que me venha à cabeça, menos professor. A Ministra da Educação destruiu na sociedade, na cultura e na mentalidade portuguesa, o que restava de digno e dignificante à profissão docente.

Pelo contrário, em Espanha os professores são vistos e considerados como profissionais fundamentais para a formação dos jovens, e para o futuro do país... Aí, seja na rua ou sentado numa esplanada, mesmo sendo igualmente professor, sinto que a sociedade espanhola encara os professores como cidadãos dignos, profissionais empenhados no êxito de todos... Assim, sempre que em Espanha me perguntam "O que fazes?", SEI QUE POSSO DIZER A VERDADE, SEM COMPLEXOS E ATÉ MESMO COM ALGUM ORGULHO: "SOU PROFESSOR.

O leitor não compreende o "Porquê" da minha resposta?!... Pois, apenas lhes digo: descubra por si mesmo... AQUI!... Veja a diferença e compreenda por que motivo a sociedade portuguesesa se encontra, hoje, a "anos-luz" da sociedade, mentalidade, cultura e respeito do povo Espanhol... Temos políticos que governam Portugal há mais de 30 anos, em Democracia (?!). Pois, "nuestros hermanos" conheceram a democracia um ano mais tarde que nós em Portugal... Qual a diferença? Necessitamos de uma "Lei Bosman" que se aplique aos políticos para podermos votar ou "importar" políticos de Espanha, da rança, de Inglaterra ou da Alemanha. Só assim podermos caminhar para diante sabendo que trabalhamos e somos valorizados...

Todos os portugueses que emigram são bem recebidos, são óptimos trabalhadores no estrangeiro... Por que é que, ficando (supostamente!) os melhores trabalhadores no país, aqueles que têm emprego assegurado (ainda que seja por voto!) o país continua a estar (e, não tenhamos nenhuma ilusão de que continuará a ser cada vez mais!) na cauda da Europa... A diferença onde estará? Nos políticos. Em quem nos governa!... São esses mesmos que destroem o sistema educativo e culpam os professores pelos maus resultados a nível de Educação.

Vejam e descubram a diferença entre Portugal e Espanha:

Em Espanha, a Ministra da Educação de Espanha disse: "A Espanha está muito grata aos seus professores!"

Em Portugal, temos uma Ministra da Educação que aparece a falar na televisão com arrogância e orgulho, de que é paradigma a famosa afirmação:

"Perdi os professores, mas ganhei a população!"

Aparentemente, e durante algum tempo, a Ministra pode vangloriar-se de “ter ganho a população”. Mas quando a população se der conta da desgraça que esta senhora provocou ao sistema educativo, quando compararem o "ANTES DE..." com o "DEPOIS DE" MARIA DE LURDES RODRIGUES, dar-se-ão conta de que de facto, é com os professores que os pais podem contar para educar os seus filhos, para os formarem, para os enriquecerem culturalmente, para os prepararem para a vida.

Se tivéramos uma Ministra que fosse ao menos tão competente como aqueles alunos que sabem copiar (e apenas copiam depois de ver que a resposta do companheiro faz eco na sua memória!) por certo COPIARIA os "BONS MODELOS" e "NUNCA OS MAUS MODELOS".

Mas a verdade é que temos uma Ministra da Educação que nem sabe copiar. por isso, como desconhece os bons modelos e limitou-se a COPIAR UM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DESCABIDO, DITATORIAL, RETRÓGRADO, DESUMANO, DESMOBILIZADOR, DESTRUIDOR, DEMOLIDOR... UM SISTEMA QUE promovendo alguns dos melhores profissionais, PERMITE (melhor, garante, com os critérios que criou para se chegar a titular, à semelhança pelos partidos dos usados para nomear os amigos para cargos públicos) A PROMOÇÃO DOS M EDÍOCRES , como se de profissionais altamente qualificados se tratasse... Querem provas? Perguntem-se: Como é que poderia, algum dia, o cidadão Armando Vara chegar a Administrador de um Banco Público se não fosse através da política e do caciquismo dos partidos? Seria mais fácil ser nomeado administrador dos Bancos do Jardim Botânico do que entrar na Adiministração de uma verdadeira Instituição Bancária. Alunos e Professores dificilmente compreenderão o que poderá estar na base desta postura governamental, a não ser que encontrem a resposta na incompetência para o cargo manifestada ao longo de 4 anos pela senhora Maria de Lurdes Rodrigues.

Temos um Sistema Educativo que se aproxima, e a passos largos, dos sistemas educativos próprios de países do Terceiro Mundo, tudo vai mal na Educação, a não ser que seja este um manifesto reconhecimento de que "Portugal é um País do Terceiro Mundo"!

Com efeito, em vez de se inspirar num Sistema Europeu que mais se aproxima do tipo de povo que somos que tem demonstrado as suas virtualidades(como é o Sistema Educativo da vizinha Espanha) a ministra buscou a sua inspiração nos sistemas terceiro-mundistas da América Latina, como o caso do Chile onde se perseguem os professores e os alunos que denunciam a situação caótica, onde o medo e os media estão ao lado dos governantes...

Revolta de uma aluna, vítima de repressão policial, autoritarismo da ditadura governamental:

Os pais apoiam a Ministra nas suas medidas absurdas que estão a permitir a destruição do Sistema Educativo Português, criado e desenvolvido ao longo de duas décadas, com a contribuição dos dois maiores partidos. Incompreensivelmente, vemos que hoje, estes SOCIALISTAS renegam o que os seus companheiros de partido (e de governo, como Guterres e Ana Benavente!), ao longo da segunda metade da década de 90, decidiram e determinaram e obrigaram os professores a cumprir as suas leis, desde a alteração dos "curricula" escolares ao sistema de avaliação de alunos e professores!). E "venderam" ao povo português estes mesmos Socialistas, as suas reformas educativa e as mudanças como fundamentais para o desenvolvimento e melhoria do Sistema Educativo Português, dos resultados dos alunos...

Deveríamos copiar o modelo tal como se faz em Espanha e não como se faz os Brasil!) de verdade, pois a cultura da maioria dos pais não lhes permite ver o abismo para que caminhamos. Mas a seu tempo, dar-se-ão conta. pena é que aí... será tarde demais...!

Conclusão:

Em Portugal os professores são maltratados.

Em Espanha os professores são valorizados.

Por isso, um grito silencioso de revolta me invade quando me desloco a Portugal. E, não fora o facto de em Portugal vivermos actualmente numa democracia perigosa, com toda a certeza que ganharia a coragem de gritar que hoje, cobarde ou infelizmente, não me é permitido ter (contrariamente ao tempo da ditadura!) porque ninguém me compreenderia, pois, internacionalmente, Portugal é visto como uma "Democracia!"...

Se pudesse juntar a minha a tantas outras vozes silenciadas por um misto de medo e cobardia, daria voz à minha indignação gritando, alto e bom som,

"E a história chama Traidor a Miguel de Vasconcelos?!"

Na verdade, Miguel de Vasconcelos foi, para nós,  o primeiro Feminista português... Defendia que a filha do Rei de Portugal tivesse o mesmo direito ao trono como se fora um varão, um macho, um homem... Mas os políticos da época não entenderam assim... E registaram o seu nome na lista de traidores da pátria. Recusado o direito ao trono pelos mesmos de sempre: os políticos da época. Sempre mais interessados nos seus tachos que no povo. Mais interessados em governar-se do que em governar o país...

Por isso, e enquanto em Portugal tivermos políticos usurpadores legais da "coisa pública" ninguém me poderá censurar de levantar o meu grito de Indignação:

"E Viva a Espanha... Até quando teremos de ser Portugueses?"

publicado por J.Ferreira às 18:16

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

A Luta Continua - Incompetentes para a Rua!

Que nenhum Professor deixe de estar presente!

E, se for caso disso, mandem o INEM levar-vos

 

Em entrevista à página electrónica da FENPROF, Mário Nogueira reafirma: "Entre suspensão e aplicação do actual modelo de avaliação, não há entendimentos nem soluções intermédias!"

 

Na próxima sexta-feira, dia 28 de Novembro, os Sindicatos de Professores voltam ao Ministério da Educação, convocados pelo ME, alegadamente para negociarem as medidas que este pretende adoptar, este ano, para simplificação do modelo em vigor.

Tendo em conta a realização dessa reunião e algumas dúvidas surgidas em torno da mesma, colocámos ao Secretário-Geral da FENPROF e porta-voz da Plataforma Sindical dos Professores, Mário Nogueira, apenas quatro questões que tiveram respostas muito rápidas e objectivas.

 

1. — Qual será a posição que a FENPROF defenderá na reunião da próxima sexta-feira, no ME?
Mário Nogueira: Da parte da FENPROF, a posição é clara e converge com a de toda a Plataforma Sindical dos Professores: entre a suspensão do actual modelo e a sua aplicação, não existem soluções intermédias, logo, a suspensão é pressuposto de verificação obrigatória para qualquer outra discussão. Ou seja, e para que fique mais clara a posição, não há entendimento possível que não seja em torno da suspensão imediata do actual modelo. Essa é a posição da FENPROF, que colhe consenso na Plataforma Sindical dos Professores, é a posição dos professores e educadores e é a posição de um número crescente de escolas! Os professores podem confiar na FENPROF e na defesa determinada e sem concessões desta posição!

 

2. — Poderiam as medidas já anunciadas pelo ME corresponder a essa posição?
Mário Nogueira: Nem pensar! As medidas anunciadas pelo ME não vão nesse sentido e pretendem apenas permitir que o modelo se aplique. Um modelo que a FENPROF rejeita e que tem pressupostos inaceitáveis: o de que a carreira docente se organiza em categorias hierarquizadas; o de que o reconhecimento do mérito dos professores se deve sujeitar a quotas! Depois, é todo o desenvolvimento do modelo a agravar ainda mais estes pontos de partida.

 

Compreendendo que qualquer negociação só terá lugar depois de ter sido declarada a suspensão do modelo de avaliação  o que poderemos esperar se isso acontecer?

 Mário Nogueira: Suspenso o actual modelo de avaliação, a FENPROF, estará em condições de iniciar negociações com vista à aprovação de um novo modelo, no quadro de uma revisão do ECD que permita eliminar os seus aspectos mais negativos. É nesse sentido que tem em discussão pública uma proposta de modelo de avaliação. Em relação ao ano em curso, a FENPROF concorda que a saída não seja administrativa, mas não admite qualquer solução que consista na simplificação do modelo em vigor, pois esse é para suspender na totalidade. Essa discussão com o ME, no entanto, só fará sentido ou terá lugar depois de garantida a suspensão do modelo em vigor. Estamos preparados para propor uma solução que assente no modelo anterior (processo de auto-avaliação e apreciação pelo conselho pedagógico) e nada mais. Recordo que estamos praticamente no final do primeiro período lectivo. Se a equipa ministerial considera não ter condições políticas ou se não tiver a coragem política para suspender o modelo, deverá, então, dar o lugar a quem a tenha, pois dessa exigência os professores não abdicarão.

 

 

Quer dizer, então, que, caso o ME não suspenda a avaliação, os professores continuarão a sua luta?
Mário Nogueira: Claro e com mais força, determinação e convicção. As manifestações distritais desta semana serão importantíssimas, pois a sua dimensão, e eu penso que será fortíssima a participação dos professores, terá necessárias consequências na reunião da próxima sexta-feira. Apelo, por isso, a todos os professores: que nenhum deixe de estar presente!

publicado por J.Ferreira às 16:56

link do post | comentar | favorito
|  O que é?

Avaliação TREMENDAMENTE Injusta mais perto do fim !

Ministra Chumbada. Recuo é Insuficiente.

 

Maria de Lurdes Rodrigues alterou alguns aspectos do sistema de avaliação mas garante que o processo continua.

 

Na verdade o essencial permanece. Ainda que todos venham a ter uma avaliação justa, de entre 8 professores "Muito Bons"  e 3 "Excelentes " numa escola de 20 professores, menos de metade ficarão a marcar passo na carreira.

Logo, este recuo é bem-vindo, reconhecendo a Ministra (sem o admitir, claro!) que a sua proposta era injusta e inaceitável.

Diz que "a observação das aulas apenas se realize por solicitação dos professores!" mas não deixou de acrescentar que "sendo todavia (esta observação) condição necessária para a obtenção da classificação de Muito Bom ou Excelente!"

Ora bolas... Presente envenenado! A ministra está a dizer claramente que, "quem não quer ser observado, não progredirá na carreira"! Ok... E se na escola acima referida (A melhor posicionada no "Ranking" em que, a crer no critério "resultados escolares dos alunos, anteriormente pela ministra inegociável!) estiverem colocados os melhores professores? Calro, se a maioria deles quiser submeter-se à observação de suas aulas e forem a todos forem avaliados com menção de "Muito Bom" e "Excelente", a Ministra tem a QUOTA como forma de rotular um avaliado com EXCELENTE passar a ter uma menção de RAZOÁVEL ou apenas BOM?

Creio qeu chegou a hora de demonstrar a muitos destes paizinhos incultos (como o Albino da CONFAP e a outros frustrados e ansiosos por se vingarem dos professores!) que os professores nunca pensaram fazer o mesmo com os seus filhinhos... É que, se os professores aplicarem o mesmo princípio da avaliação que a ministra criou e quer impor, os filhinhos daqueles que procuram uma escola de elite e uma turma onde possam aspirar a aprender e alcançar uma média que lhes permita entrar em medecina (por exemplo) já era! 

isto porqu, ainda que todos sejam excepcionais numa mesma turma (tal como os professores de uma mesma escola o podem ser!) em cada Turma, apenas poderá haver 5% de Excelentes, 10% de Muito Bons, 40% de Razoáveis e os restantes... Insuficiente!

Enfim... Que comentários fariam os pais na Internet?

Os professores são os únicos a defender a dignidade dos alunos! Nem mesmo os pais o fazem... por incompetência ignorância ou oq eu lhe queiram chamar... mas não por sabedoria... É que muitos dos licenciados pelas novas oportunidades andam agora a tecer comentários (televisivos, inclusivé!) como se fossem doutores em todas as matérias.  Todos percebem de tudo e são icompetentes em todas as áreas.. Os únicos que são incompetentes neste país, apesar de terem provada a sua competência com diplomas passados pelas universidades em dia súteis são, imagine-se ao que chegamos, os professores! Parece impossível como, sendo apenas 140.000 o país está na cauda da europa... Ora, meus caros. Os professores estão fartos e não aceitam ser os bodes expiatórios... Muito menos que, por detrás da necessidade de controlar o défice (quando se esbanja dinheiro a céu aberto como se sabe apra determinados boys ou empresas...) sejam os sacrificados e ainda por cima, enxovalhados por iletrados, analfabetos, ignorantes, enfim... mal educados! BASTA !

 

 

A luta tem de continuar. Sou titular e não quero ser avaliador.

FIM À DIvisão da carreira em Duas Categorias. Há Professores que não são Titulares que são t bons ou meljhotres do que eu e que não estão nesta categoria por falta de Tempod e Serviço ou dos ditos incríveis pontos, atribuídos de forma absurda pelo desempenho de determinados cargos, ou, simplesmente, por um professor ter tido a sorte de , desde num determindao período não ter tido necessidade de FALTAR e, pelos mais diversos motivos, ter faltado LEGALMENTE!

 

Não À Divisão da Carreira.

Quero Voltar a Ser PROFESSOR como os meus pares.

 

 

Quero poder colaborar sem ser penalizado.

Quero deixar de ser O EGOÍSTA a que me obriga esta MINISTRA com a forma de progressão que criou premiando os que apresentarem melhor performance nops resultados escolares!

Quero voltar a partilhar as estratégias de sucesso com os meus pares!

 

 

 

Na veradde, como muitos meus colegas, sempre o fiz e a senhora ministra veio negar esta evidência colaborativa ao afirmar que os professores não estão habituados a trabalhar em equipa ou a cooperar.

Esta Ministra promoveu uma divisão artificial da Carreira Docente, acreditando que os mais velhos são sempre mais competentes e que os mais novos só podem chegar a essa competêncai ao fim de 18 anos de carreira... Como é possível... Apliquem isso ao futebol... e verão que esta é a maior falácia de todos os séculos.

Espero não chegar aos 65 anos senil...E poder olhar para trás e ver que os povo português, afinal, não é estúpido!

Aos sindicatos apelo para que não baixem os braços. Ganhamos uma batalha. Não nos façam dar meia volta. Acabaremos perdendo esta Guerra. Não pedimos guerra. Foi esta Ministra e muitos dos pais que a pediram!

 

Amamos o que fazemos. Somos os que mais se preocupam com a vida dos jovens... Da felicidade e do sucesso dos jovens depende o nosso sucesso profissional.

Os critérios de avaliação são um absurdo! Fomos avaliados no estágio e por docentes do ensino superior. Agora, vêm de novo as aulas assistidas, quantas das vezes pelos titulares que esta ministra nomeou que passaram a vida em gabinetes e como tal obtiveram pontos para acederem à nova (e absurda) categoria.

 

O processo de avaliação em Espanha nada tem a ver com esta palhaçada... E, não sei se já repararam no fosso que nos separa da nossa vizinha Espanha quando a democracia chegou àquele pañis um ano depois de ter chegado a Portugal... De quem é a culpa? Já vamos com 17 governos... Eles apenas levam 4! Façam as contas a quantos já estão a "mamar" na teta da cabritinha e`percebam por que motivo não há dinheiro nos cofres portugueses... faz falta uma "Lei Bosman" para a política. Vieram os jogadores estrangeiros para os clubes de futebol.. venham políticos estrangeiros governar este país... Mandemos estes para a Somália ou para a Birmânia...!

Continuamos na cauda da Europa, e agora cada vez mais longe do "pelotão da frente". Estamos a ser ultrapassados pelos países recém-chegados à União Europeia. E os políticos, no lugar de resolverem os problemas do país, perseguem os professores, entretêm-se com manobras de diversão como se a política e o goveno do país fosse um jogo virtual.

Senhora MInistra. Está a jogar com pessoas reais, com profesosres que também são pais e já nem tempo têm para atender aos seus filhos. Em breve serão uns tantos mais a junatr-se ao conjunto de marginais que a sociedade está a formar...

Persigam os que trabalham, como os professores... os que pagam impostos como os trabalhadores e dêm subsídios a preguiçosos, reformas chorudas a políticos em tenra idade (40 anos!) e que acumularm com salários de milhares de euros e culpem os professores!

 

Para muitos professores, o objectivo educativo deveria ser evitar os jovens que educam nas saus escolas não sigam o caminho da marginalidade". Mas, esta Ministra pouco se importa se a maioria vai socializar-se ou ingressar nas cadeias...

Esta Ministra ainda não se deu conta de que "cada vez que encerramos uma escola devemos estar preparados para abrir uma prisão". Estamos a ver o que vai acontecer que, quando todos forem aprovados com MUITO BOM e EXCELENTE nos EXAMES NACIONAIS. Esta Ministra quer transformar todos os alunos em doutores, médicos e engenheiros...

 

Não vás na TRETA! 

A LUTA continua...

Ministra para a RUA !

 

publicado por J.Ferreira às 16:56

link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Domingo, 26 de Outubro de 2008

Professores em Lisboa - Indignação no Limite

No Dia 8 de Novembro, Professores regressam a Lisboa!

 

Os motivos da indignação dos professores avolumam-se!

 

Dia 15... Muitos marcaremos de novo Presença

       A incompetência demonstrada a cada dia com mais veemência. Governo age cada vez mais "em desespero de causa".

       Quando muitos pais se resignam e já pouco se importam com o que possa suceder à educação dos seus filhos, os professores têm a obrigação de demonstrar a este Governo que quando o destino é o abismo, "a única forma de seguir em frente é... Dar um passo atrás!

Professores devem unir-se!...

      A Plataforma Sindical deu enquadramento à manifestação da indignação dos professores. Ao organizar uma manifestação em Lisboa no dia 8 de Novembro, temos todos, independentemente das iniciativas que estavam já a decorrer, de nos unir em torno desta grande iniciativa. Por isso, todos os que puderem, devem dizer "SIM" à chamada. Um dia poderão orgulhar-se de terem dito "PRESENTE" ...

 

        A tarefa do Governo tem sido "dividir para reinar". Em nome de uma dignidade a que temos direito, à justiça da sua carreira, ao tratamento de respeito, os professores têm a obrigação social e moral de estar presentes. Daremos a este Governo uma prova de UNIDADE.

 

        Se o Governo continuar na sua cegueira auditiva, mantenhamo-nos firmes e que os Sindicatos, na mesma semana, se preparem para se unirem e apoiarem a repetição da manifestação mobilizada pelos professores que isoladamente, e por mote próprio, se tinham antecipado , mobilizando por mensagem, e estejamos de novo em Lisboa no dia 15 de Novembro. A dignidade não pode ter preço.

 

        Deixemo-nos de mesquinhez, todos aqueles que agora se dizem indignados por os sindicatos se terem antecipado. Não sabem do que falam... As negociações "são o que são" quando um governo é de ditadura democrática. O Governo corta e risca por onde quer quando os cidadãos se acobardam e não lhe batem o pé...

        E lembrem-se todos os professores. Os funcionários encerram escolas. Quando há greve de professores, as escolas continuam a trabalhar... Os alunos têm aulas com os professores que não aderem à greve... Mas Sem funcionários... encerram-se as escolas. Será que não temos capacidade de ser, pelo menos, defensores da nossa dignidade como os nossos funcionários o fazem?

     Evitemos, pois, a dispersão do motivo central  que nos leva a Lisboa.. Centremo-nos no mais importante: restabelecer a dignidade a que temos direito.

        Conseguir a divisão dentro dos professores é uma missão do Governo e de alguns infiltrados socialistas que darão a vida pelo partido porque, tal como se pode constatar pelas declarações de presentes, muitos dos 100.000 que se reuniram em Lisboa,eram militantes socialistas.

 

UNIDOS... Exijamos ao Governo RESPEITO E DIGNIDADE...

 

       Em França, os professores venceram as suas lutas. As escolas fecharam mais de 15 dias consecutivos. Não cremos que os professores tenham dificuldade em obter um crédito bancário para viver durante 15 dias... E existem muitos mais sindicatos que em Portugal...! Afinal... Quem somos? professores ou militantes de sindicatos? Mesmo que sejamos sindicalizados em diferentes organizações, somos cidadãos livres ou temos disciplina de voto como os partidos? O que nos une é a profissão ou a tendência partidária do Sindicato? É que no nosso sindicato (SPCL) há gente oriunda de todos os partidos, e até clubes de futebol... E disso apenas temos orgulho!

 

        A luta pelo direito a ser respeitado e a ser tratado com dignidade deve merecer mais o recurso ao crédito do que uma viagem de férias... Mas a decisão é de cada um. Deixem que o Governo sinta a divisão, que o Governo continue rumo ao abismo e a carreira dos professores estará condenada...

        Agora... Olhem apenas para o vosso umbigo... Para o vosso orgulho pessoal... Calem-se. Acobardem-se... Inventem desculpas para não aderir... Faltem ao chamamento... Depois... Não têm legitimidade para se queixarem. Se sairmos derrotados na nossa luta, teremos de reflectir sobre quem somos, o que queremos e por onde devemos ir... Deixemo-nos todos de culpar os outros, de culpar os sindicatos... Procuremos o mal dentro de cada um de nós...

        Os dirigentes dos sindicatos, sós, isolados perante o ministério, são como dois ou três generais no campo de batalha do inimigo sem soldados para os suportar!... E não lhes restará senão... render-se!

 

PELOS PROFESSORES.


PELAS GERAÇÕES DE JOVENS

 

PELO FUTURO DA EDUCAÇÃO EM PORTUGAL

 

PELOS NOSSOS FILHOS e...

 

PELOS FILHOS DOS PORTUGUESES!


8 de Novembro TODOS A LISBOA !

 

publicado por J.Ferreira às 00:09

link do post | comentar | favorito
|  O que é?

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Magalhães: de "Errare hum...

. Ser "Professor Titular".....

. Avaliação - Critérios INJ...

. Partidocracia - 1; Democr...

. Socialistas Sacodem a Águ...

. Força da Razão contra Raz...

. Tenho Vergonha de Dizer "...

. A Luta Continua - Incompe...

. Avaliação TREMENDAMENTE I...

. Professores em Lisboa - I...

.arquivos

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds