Até que o Teclado se Rompa!
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

18 Janeiro 2007

A Senhora Ministra da Educação, querendo fazer parecer de tudo um pouco perceber, deveria tratar um pouco mais da saúde do seu conhecimento, nomeadamente, eem relação à forma como funcionam as Escola e os Hospitais em Portugal...

 

Mas... e infelizmente para todos nós, confunde tudo, e de forma tão preocupante que até mesmo aqueles que indiscriminadamente ataca lhe desejam "As Mais Sinceras Melhoras !..."

 

De facto, tão injusta quanto inacreditável, a Senhora Ministra da Educação lançou um ataque aos professores acusando-os de uma falta de profissionalismo por, nas suas palavras, "contrariamente aos médicos que concentram os seus esforços para resolverem os casos mais graves, os professores abandonam os casos mais difíceis !"

 

Claro. O que a Senhora Ministra não sabe é que num hospital, após a passagem pelo médico especialista ou generalista, nos casos ditos de problemas de saúde menos graves, o médico não tem de ficar todo o dia, minuto a minuto, ao lado do doente. Têm outros técnicos (pessoal de enfermagem) para acompanhar e complementar o que determinam como terapia a aplicar. Pelo contrário, nas escolas, são os professores definem as terapias não para um mas para mais de 25 alunos simultaneamente, com características, aptidões e competências muito divergentes, cabendo-lhe proceder ainda ao acompanhamento e avaliação dos resultados das terapias que definiu, num trabalho exaustivo e continuado ao longo de todo o dia.

 

Senhora Ministra! Dignifique a sua função! Por favor, não misture as coisas...!

 

Não sei se sabe mas não lhe fica bem… O que afirmou não abona, em nada, a favor da sua competência... Se é que a tem para o cargo que desempenha! Mais que alguém que deveria interessar-se por resolver os problemas da educação, a Senhora Ministra está interessada em criar e aumentar os problemas da Educação. Assim, mais do que o "O Ranger do Texas" a Senhora Ministra parece pretender assemelhar-se a "O Exterminador"! De facto, as afirmações que faz são tão descabidas que mais parecem ser oriundas de alguém que vive noutro planeta…

 

Não sei se sabe mas, a maioria dos casos de doentes, após a intervenção médica nos hospitais, são seguidos por enfermeiras e apenas vigiados periodicamente pelos referidos profissionais! De facto, a Senhora Ministra parece mesmo desconhecer o funcionamento do trabalho em equipa! Comparar um Hospital a uma sala de aula é como comparar o atendimento que faz no seu Gabinete ao atendimento num restaurante.

 

Os Profissionais da Saúde (médicos que exercem a sua função num Hospital ou Centro de Saúde) atendem apenas uma pessoa de cada vez.

Os Profissionais da Educação (professores) trabalham simultaneamente com grupos de  crianças em simultâneo dentro da sala de aula, cada uma com a sua normalidade ou com a sua patologia específica, muitas vezes sem o auxílio de quaisquer outros profissionais.

Como pode ter comparado o trabalho destes dois profissionais?

 

O que parece é que a Senhora Ministra da Educação não só não conhece o funcionamento da Educação como parece nunca ter percebido o funcionamento dum Hospital...

Um médico apenas trata um doente de cada vez. Nunca tem ao mesmo tempo 20 ou 25 doentes com diferentes patologias para tratar… Os professores “convivem” com esta dura realidade e não têm "enfermeiras" para acompanhar as crianças logo que têm que dedicar mais atenção a um caso mais difícil ou problemático, e quantas vezes, do foro médico…

 

Já pensou em decretar que no hospital fossem os médicos a ensinar todas as matérias dos programas escolares às crianças e jovens que são hospitalizadas? Absurdo? Pois… Claro.

Mas os professores, para além das matérias, lidam diariamente com casos sérios e muitas vezes graves de saúde (quantas vezes problemáticos) dentro das suas salas de aula.

 

A comparação não só é infeliz como se vira contra si mesma!

 

Afinal, se analisasse a sua prática enquanto governante, teria vergonha do que afirmou. Com efeito, a dedicação que a Senhora Ministra da Educação teve para com os alunos das escolas com problemas de insucesso (com poucos ou muitos alunos) é paradigmática:

Com uma só palavra a senhora Ministra resolveu o problema do Insucesso destas escolas:

Espantem-se, pois com a solução encontrada pela Senhora Ministra:

  "  ENCERREM-SE !  "

Assim ficou demonstrada a competência e o esforço merecedor de um prémio Nobel por parte da Senhora Ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues.

Ficará para a história como a  Ministra que mais rápido acabou com o Insucesso Escolar.

E ficou bem demonstrado também o INVESTIMENTO que NÃO QUIS FAZER para melhorar o sucesso educativo das escolas portuguesas.

Pode pois, partir descansada a Senhora Ministra, pois todos nós sabemos que, depois de constatar o óbvio, que o Insucesso apenas mudou de lugar, voltaremos a ser nós, os +professores a ter de arcar com o  ónus da responsabilidade pelo Insucesso Escolar.

E seremos sempre para a senhora Ministra uns ingratos por não termos compreendido o esforço monumental, desgastante e extremamente cansativo, com que a Senhora Ministra pretendia resolver, de uma vez por todas, o problema do Insucesso Escolar das escolas com um reduzido número de alunos.

Afinal, perante a necessidade de um maior investimento nestas escolas, a Senhora Ministra não se coibiu de ditar e assinar a sua "Sentença de Morte".

E nasceu o Sucesso...? Não. Isso é uma enorme falácia!  O Insucesso apenas mudou de local... E, tal como acontece com o desnivelamento dos cruzamentos para deixar de haver acidentes, o facto é que apenas mudam de local. O ponto negro não desaparece! Apenas muda de sítio.

Assim acontecerá com o Insucesso Escolar. Mas, aparentemente, dissolvido entre dezenas ou centenas de alunos, o insucesso deixará de ser tão visível.

Será que um Ministro de Sucesso é aquele que melhor engana as populações? De facto, as mesmas crianças até podem continuar a ter o mesmo nível de Insucesso Escolar. No entanto, como as crianças com insucesso estão agora diluídas entre as centenas de crianças que frequentam a "nova" escola, apresentados os resultados globais da escola, bem que a Senhora Ministra poderá criar-lhes a ilusão de que aumentou o Sucesso Escolar dos alunos que se deslocam e, devido a uma análise menos atenta, acreditar que o Sucesso prometido pela Senhora Ministra tenha sido uma realidade !

 

 

publicado por J.Ferreira às 00:38

pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

blogs SAPO