Até que o Teclado se Rompa!
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

29 Janeiro 2009

Os professores no Chile lutaram durante mais de um mês contra a um Modelo de Avaliação TÃO ESTÚPIDO QUANTO INJUSTO... Mas a "Razão" e o "Bom-Senso" do Governo Chileno acabou por vir ao de cima.... Pena é que tenha despertado para a injustiça e estupidez, com uma greve de um mês seguido. Os professores chilenos estiveram unidos e conseguiram que o Governo desistisse do INJUSTO e RIDÍCULO MODELO DE AVALIAÇÃO que queria impor aos profissionais de Educação EM TUDO (incluindo nos descritores) SEMELHANTE AO NOSSO! Nem professores nem alunos esatão disponíveis para tolerar um modelo ditatorial e injusto.

As pseudo-reformas que este Ministério da Educação tem tentado implementar necessitam de aposentação compulsiva. Portugal tem neste Governo políticos incompetentes que buscatram problemas onde eles não existiam. Os professores sempre foram avaliados por critérios criados pelos governos de Portugal, de maioria absoluta como é o caso deos Governos de Cavaco Silva. E António Guterres, Socialista teve a oportunidade de aperfeiçoar o que estava mal... Passados mais de 10 anos, reaparece José Sócrates (socialista reconstruído que esteve com António Guterres no Governo e que como tal, fazia parte do Conselho de Ministros) atacar os professores acusando-os de terem "regalias" que na verdade nunca existiram e com a paranóia Chilena da divisão da carreira docente em duas categorias. Pretensamente, seria para escolher os melhores mas, por incompetência da Ministra (que impôs a todos critérios inadmissíveis e absurdos para determinar quem era competente!) tal não foi possível. Bem pelo contrário. Como os critérios não tinham nada a ver com competência, ltemos hoje nomeados como P*rofessores Titulares, muitos dos piores profissionais. De  incompetentes na comunidade passaram, magicamente, a Excelentes! Nada de muito grave se passaria se não tivesse deixado de fora os muitos dos melhores profissionais, de elevadíssima qualidade e competência, que agora serão avaliados pelos incompetentes...

É claro que esta barafunda só foi possível porque temos uma ministra INCOMPTENTE que decidiu basear a escolha dos professores titulares em critérios TREMENDAMENTE ABSURDOS,  que apenas servem para provar a incompetência da ministra. Na verdade, as alterações efectuadas pela Ministra ao Estatuto da Carreira Docente só vieram prejudicar e piorar o ambiente de aprendizagem dos filhos dos portugueses. Portugal teve desde 1990 uma metodologia de avaliação do trabalho dos professores que supera em muito a utilizada em países como a nossa vizinha vizinha Espanha. Quem já investigou no terreno sabe  que é verdade e só pode confirmar o que acabámos de afirmr. Se é verdade que poderia ser melhorada, não é menos verdade que a metodologia e estratégias utilizadas pela ministra foram uma autêntica aberração que provocou uma desgraça total no sistema educativo. As melhorias a introduzir. E era possível melhorar o sistema. Basta  pensar sobre o seguinte: na formação contínua havia docentes que eram avaliados negativamente. Mas, apesar de dispor de uma enorme quantidade de inspectores,  nunca o Ministério quis saber os motivos por que os professores não obtinham os créditos a que eram obrigados nem se interessou em investigar a sua qualidade como profissionais. Porém, e de uma forma totalmente irresponsável (característica de quem é incomptetente como esta ministra e a equipa que a rodeia!) Maria de Lurdes Rodrigues, com o apoio incondicional do Primeiro-Ministro José Sócrates, destruiu o que de bom havia insultando todos os professores sem distinção. Acusando os professores de serem  um grupo profissional que tinha um conjunto de mordomias, conseguiu o apoio do POVO FÁCIL DE ENGANAR COM MENTIRAS REPETIDAS. OS PROFESSORES NUNCA TIVERAM QUAISQUER MORDOMIAS. A não ser que considere como mordomias o facto de OS PROFESSORES PAGAREM TUDO DO SEU BOLSO. Desde a deslocação casa-escola (os funcionários judiciais deslocam-se gratuitamente nos transportes públicos!), ou, quando não há transportes públicos a servir a escola, a gasolina, o seguro, a desvalorização e o desgaste do carro (pneus, gasolina, travões, etc.), os computadores, as impressoras, os tinteiros, o papel, ...  até à energia que usam em casa para servir os alunos... etc...!). Se antes estava algo que poderia ser melhorado, agora tudo pode ser melhorado pois é um Sistema ABSURDO que nada avalia do trabalho do professor. E isto por imensos motivos que estão já demasiadamente explanados e dissecados noutros textos.

Temos, pois, um governo sem escrúpulos. Tão cego que não olha a meios para atingir os fins, pois está a destruir um sistema educativo que não sendo perfeito, era muito mais democrático, mais funcional e sobretudo mais justo. Estamos hoje a ser governados por políticos (alguns deles professores!) que apresentam uma mentalidade mais curta que a dos governantes terceiro-mundistas como o Chile.

 

Está na hora de ponderarmos na necessidade de fazer greve por tempo indeterminado. E o argumento de que o ordenado nos faz falta aos professores não serve. Temos em Portugal famílias a pedir empréstimos para ir de férias... Será que pedir um empréstimo para defender a dignidade da profissão não é importante? Seguramente que não há professor que não consiga obter de uma instituição bancária um empréstimo para viver um mês... Vamos fazer os pais sentir que lhes fazemos falta... Um ou dois dias de greve de nada serve... UM MÊS DE GREVE... Que Sócrates seja forçado a fazer a REQUISIÇÃO CIVIL... MAS QUE O FORCEMOS A FAZER (se é que se aplica este caso!)... É pFaçamos uma GREVE POR TEMPO INDEFINIDO ... É PELA DIGNIDADE A QUE TEMOS DIREITO e não por mais uns cêntimos. Se continuamos apegados a 1500 euros, no futuro próximo, bem a curto prazo, vamos perder muito mais do que isso... Se os professores não liutam na hora certa, cada vez caminhamos mais para o abismo. Estamos a ficar desprofissionalizados... Será que os professores estão dispostos a aceitar o que o nosso "patrãozinho" decidir dar de vencimento? Até que nível estamos dispostos a baixar? Até ao nível da pobreza, da ida ao banco alimentar pedir para comer? para muitos colegas, já faltou mais... DIGAMOS TODOS: BASTA !!!.

Creio que não será necessário mais de uma ou duas semanas  para que os pais (que também somos, claro!) comecem a preocupar-se com a educação dos seus filhos. Muitos nem conseguem aguentar dois ou três filhos ou netos mais de 15 dias de férias em casa! As eleições estão aí à porta...

"Unidos na Acção" podemos obrigar o governo a ceder!... Basta de cortes no Orçamento da Educação. Vejam o que se passa no vergonhoso mundo da política: em  2004 Eurodeputados Portugueses bateram-se por mais euros, mas alemães e suecos tramaram aumentos...  Afinal, conseguiram aumentar-se em 2009. Percebem agora por que qtodos querem ir para o Parlamento Europeu? Em tempo de crise, esta NOVA EUROPA (que quer recusar aos cidadãos o referendo sobre o tratado) aumenta os salários dos eurodeputados em 125%. Notem bem... Isto passa-se em tempo de crise! Imaginem como se comportarão quando estivermos em crescimento económico!... Não me venham com esta de que "não há dinheiro!" ... Que grande lata, não?

Ainda assim, não desistiram de alcançar os seus objectivos e, a partir de Junho de 2009 já têm garantido o aumento de 125% nos seus salários... É um facto... E Sócrates nem fala disso... Como são avaliados os deputados?  Nas eleições...? Ora vão bugiar, meus caros... Mas o dinheiro para os seus salários SUPER CHORUDOS vai ter de aparecer... Como? Para já, se os deixarmos, os professores serão os que primeiro vão desembolsar reduzir-lhes a carreira que era já um legítimo "direito adquirido"... Ainda que as notícias sobre o caso tenham desaparecido dos jornais electrónicos (vá-se lá saber ou entender o "porquê"!... que andam por estas bandas...  Se há colegas preocupados com um mês sem o vencimento... que se preparem pois o que perdem é milhares de contos... E, qualquer dia, nem direito à Reforma vamos ter...

Não podem perder um mês de ordenado? Deixem-se amedrontar e em breve Sócrates virá com a ameaça de vos retirar o "direito ao emprego" . Sem emprego, morrem no mês seguinte? Não! Está na altura de fazer um pequeno sacrifício perante o que se avizinha! E um mês de ordenado é um pequeno sacrifício perante o que estamos na eminência de perder!  Professores, coloquem os vossos olhos no exemplo Chileno!
Vamos ser a única classe profissional, no único país do mundo a vser vítima de uma avaliação profissional baseada em critérios injustos e que em pouco ou nada dependem do professor (resultados escolares, absentismo dos alunos, abandono escolar dos alunos!), para além de uma divisão artificial e absurda da carreira docente. Abram os olhos!

A greve por tempo indeterminado é cada vez mais a única saída para a queda completa deste modelo de avaliação. Temos de espalhar esta ideia rapidamente, sobretudo agora que os sindicatos vão dar a luta por estagnada de novo e o modelo saiu em Diário da República obrigando a que as escolas façam a avaliação sob hipótese de despedimento dos avaliadores que se neguem a avaliar e processos disciplinares aos elementos do CE que não apliquem o modelo.
E nem vale a pena que os colegas peçam para não ser avaliados, pois isso implica que não progridem garantidamente e isso é só o que interessa ao governo, pois querem lá saber da avaliação...

Os professores ainda não recuperaram nada do que merecem ver reconhecido no seu estatuto. Há que endurecer a luta.

GREVE POR TEMPO INDETERMINADO.... JÁ !

publicado por J.Ferreira às 14:19

pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
24

25
26
27
28
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

subscrever feeds
blogs SAPO