Até que o Teclado se Rompa!
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

15 Janeiro 2011

Na verdade, por estranho que pareça, em Portugal há quem receba Salários Chorudos em Tempos de Crise.

Estranho é que estes Salários Chorudos não geram a Cólera nos Portugeses. Antes se voltam, fruto do trabalho de vergonhosos "opinion makers" como é o caso do inqualificável como Miguel de Sousa Tavares.

Diz-se por aí e "à boca cheia" nos mais variados media que... “Não há dinheiro! Não há dinheiro!”. Perguntamos: Mas... será que é mesmo verdade...!!?

Diz-se por aí e "à boca cheia" nos mais variados media que... “vivemos acima das nossas possibilidades”.  Perguntamos:  Mas... será que é mesmo verdade...!!?

 

Ora, este parece-nos mais o discurso pré-feito (bem diferente de perfeito) mas que, de facto, é perfeito tendo em conta o objectivo: enganar e subjugar e escravizar o povo, diminuindo-lhes os direitos quando não mesmo, eliminando-os.

A quem se deve esta triste mentira em que vivemos? É claro: a “comentadores profissionais” de meia-tigela, aos “escribas de serviço” (como Miguel de Sousa Tavares) e, sobretudo, ao interesse escondido e disfarçado de tantos e tantos outros que vivem à custa de quem trabalha.

 

Se não veja-se o que surge difundido na rede.
Eis a Folha Salarial da Fundação Cidade de Guimarães que foi, criada para a Capital da Cultura 2012 (da responsabilidade da respectiva Câmara Municipal que é gerida pelo partido Socialista!) relativa aos seus administradores e de outros figurões:

Jorge Sampaio
- Presidente do Conselho de Administração: 14.300 € mensais + Carro + Telemóvel + 500 € por reunião
Carla Morais
- Administradora Executiva: 12.500 € mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
João B. Serra
- Administrador Executivo: 12.500 € mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
Manuel Alves Monteiro
- Vogal Executivo: 2.000 € mensais + 300 € por reunião

Todos os 15 componentes do Conselho Geral, de entre os quais se destacam Jorge Sampaio, Adriano Moreira, Diogo Freitas do Amaral e Eduardo Lourenço, recebem 300 € por reunião, à excepção do Presidente (Jorge Sampaio) que recebe 500 €.

Em resumo: 1,3 milhões de Euros por ano
(dinheiro injectado pelo Estado Português) em Salários! Como a Fundação vai manter-se em funções até finais de 2015, as despesas com pessoal deverão ser de quase 8.000.000 € (oito milhões de Euros !!!). Reparem bem: qualquer um destes administradoresganha mais do que  o Primeiro-Ministro! E muito mais do que o Presidente da República (cujo salário que tantos criticam mas que se calam perante esta aberração!).
O mais grave é que esta obscenidade acontece numa região extremamente castigada nos últimos anos (o Vale do Ave) onde o desemprego ronda os 15 % !!! Mas, com esta triste e obscena realidade, há ainda alguém que possa acreditar em leis anti-corrupção feita por esta gente?

 

publicado por J.Ferreira às 15:59

pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

subscrever feeds
blogs SAPO