Até que o Teclado se Rompa!
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

02 Julho 2009

Ministra Teve e Ouvir e Engolir em Seco


Relatório OCDE arrasa Decreto Regulamentar2/2OO8 sobre Avaliação Professores.

 

 

Foi recentemente divulgado o Relatório da OCDE sobre a avaliação de desempenho docente.

E, as conclusões nele expressas deixam muito mal não só este Governo como outros Governos Socialistas e a respectiva Ministra da Educação.

 

Há pouco tempo atrás, um relatório da OCDE veio criticar o Governo português defendendo a necessidade de alteração no sistema de avaliação dos professores em Portugal. Com efeito, a OCDE critica a associação entre os resultados dos alunos e a avaliação de desempenho dos docentes bem como a avaliação feita por pares com consequências na progressão da carreira. Ora, essas são as duas características centrais do modelo imposto pelo decreto regulamentar 2/2OO8 e que mais contestação provocaram entre os professores. O decreto regulamentar I-N2OO9, que impôs a versão simplex, também não sai incólume do estudo da OCDE, uma vez que o relatório manifesta uma clara oposição a uma avaliação de desempenho de tipo quantitativa e com consequências para a progressão na carreira seja feita pelos directores e colegas a quem foram atribuídas funções de avaliação.

Nas recomendações, o Relatório da OCDE aponta para a necessidade de haver uma avaliação de tipo qualitativo e meramente formativa, feita pelos directores, e uma avaliação com incidência na progressão na carreira docente, feita por elementos exteriores à escola e sem qualquer relação funcional com os docentes avaliados.

A OCDE aconselha que os avaliadores externos sejam especialistas certificados em avaliação de desempenho e que adoptem critérios uniformes para todas as escolas do país.

 

A FNE reagiu ao Relatório da OCDE pela voz de João Dias da Silva, que afirmou o total isolamento da ministra da educação e a necessidade de construir um novo modelo que não padeça dos males apontados no estudo da OCDE. João Dias da Silva acrescentou que, em matéria de avaliação de desempenho, foram dois anos completamente perdidos graças à teimosia da ministra da educação. Interrogada pelos jornalistas à saída da sessão de apresentação do Relatório da OCDE, a ministra limitou-se a afirmar que não era tempo de tomar decisões.

publicado por J.Ferreira às 17:14

pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

blogs SAPO