Até que o Teclado se Rompa!
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

31 Maio 2007

 

Esta Greve Geral levanta uma questão:

 

Será que a Democracia ainda funciona em Portugal?

Como se pode afirmar que sim quando não é reconhecido pelos governantes um direito essencial da democracia: O direito de manifestar-se pacificamente e como tal, de fazer greve?

Pode o governo tentar controlar os cidadãos que, mesmo com a implementação de medidas prepotentes, haverá sempre quem tenha a corqagem de não se calar... 

E, se para muito mais não serviu, a Greve Geral levada a cabo pelo país permitiu mostrar um Cartão Amarelo  a um Governo pela sua prepotência e tendência quase ditatorial, que não olhando a meios para atingir os fins, tentou amedrontar e intimidar os trabalhadores, desmobilizando-os o mais possível da defesa dos seus legítimos direitos. A provar esta realidade dura a CNPD (Comissão Nacional de Protecção de Dados), deu razão aos sindicatos em face de uma tentativa governamental de levar à prática medidas que fazem lembrar o status quo de outros tempos... Assim, o Governo foi obrigado a recuar na sua intenção de obrigar os organismos da sua dependência uma divulgar como nome dos trabalhadores grevistas. A pergunta é clara... Para quê? Qual o objectivo? Será que é necessário adiantar aqui um apossível resposta? Cremos que não!

     Com efeito, a CNPD chegou mesmo a classificar a decisão do governo como "procedimento discriminatório". Estamos seguros de que, se o partido que agora suporta o governo estivesse na oposição, ouviríamos sair da boca de muitos socialistas  palavras a classificar esta atitude como "fascizante". Porém, temos quase como certo que, se o Partido Socialista estivesse na Oposiçãonenhum outro partido de direita teria a ousadia de levar esta ideia por diante... Porquê? A resposta é tão óbvia quanto simples... É que "levaria" imediatamente com a Esquerda toda em cima... Agora... Diz-se que não há memória de um governo, nem mesmo de direita, que tenha dado "tanto na cabeça" aos trabalhadores e piorado as suas condições de vida" como o actual...

É pois legítimo perguntar:

Como é possível que tendo Portugal "um governo de esquerda", num momento em que o país atravessa uma crise grave, as suas políticas continuem a permitir que os ricos fiquem cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres? Que os lucros das grandes empresas continuem a aumentar vertiginosamente sem que sejam obrigadas a pagar uma boa parte desses lucros quando dizem que a Segurança Social está quase na falência...?

É claro que a direita agradece e fica caladinha e sossegada, e espera pelo dia em que volte a governar o país... Só quando voltar à oposição, a esquerda voltará, de facto, a ser esquerda ...

Nessa altura, lá estará a direita para avivar a memória destes e doutros Socialistas sobre as medidas com pendor tendencialmente "fascizante" que empreenderam contra os trabalhadores, quando estavam à frente dos destinos do país...

Tristemente, a acção destes governantes quase nos leva a concluir que a chegada ao poder do Partido Socialista veio demonstrar, com propriedade, que há determinadas forças (de esquerda) que devem existir em todas as democracias, mas que têm tão-somente vocação para serem Oposição. Esta Esquerda que governa Portugal (Partido Socialista!) tem desiludido e desencantado uma grande maioria dos cidadãos democratas que na esquerda acreditavam... O facto da Greve Geral ter uma maioria de apoiantes afectos ao Partido Socialista demonstra isso mesmo... O desencanto que vai neste país...

Por isso, afirmamos que só com esta esquerda na Oposição, os trabalhadores têm ao seu dispor um partido que os defenda!

Assim, seremos forçados a concluir  que este Partido Socialista é uma força partidária que se diz de esquerda mas que está vocacionada, não para governar porque "desgoverna" e cria o caos, mas antes, para servir de "fiel e balança" quando os governos de direita governam o país...

 

Esperamos que para bem de todos nós, o povo PORTUGUÊS não tenha memória curta, e que nas próximas eleições legislativas (e por que não já nas autárquicas em Lisboa onde existem tantos candidatos, inclusive, independentes...) lhes saibamos apontar o lugar que verdadeiramente merecem no Parlamento Português: A BANCADA da OPOSIÇÃO.

Aos trabalhadores deste país, aos cidadãos verdadeiramente democratas que se dizem defensores da solidariedade social e da responsabilidade de cada um perante todos, temos a dizer:

Fiquem todos calados... Não tomem nenhuma atitude.

Esperem para ver... e recordar-se-ão destas palavras!

 

Ou então...

Gritem, alto e bom som,

com energia e convicção:

" BASTA  ! "

 ,,,

publicado por J.Ferreira às 14:15

pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26



mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

blogs SAPO