Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Até que o Teclado se Rompa!

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

Até que o Teclado se Rompa!

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

Afinal, quando teremos políticos competentes em Portugal? Será que não há personalidades nos partidos que sejam capazes de colocar o interesse nacional (a custo zero... salário zero... só pelo reconhecimento social!) acima de todos os interesses sejam partidários, clubísticos, ou familiares??? Será que estamos condenados a ter personalidades na política que, quando chegam ao poder, apenas se dedicam a tratar das suas vidas (encher os seus bolsos, os das familiares, dos amigos, (...)
  O nosso país já não tem grande remédio. Porque todos nos acobardamos, um dia estaremos debaixo de uma nova ditadura, se é que já não estamos: a ditadura dos mercados. Depois de muitos cidadãos terem passado fome pela mão de políticos que impunham a sua vontade pela força, chegamos ao tempo em que a vontade de uns é imposta pela lei que fazem mudar de acordo com as suas conveniências. Eles, os senhores do capital (para alguns, os capitalistas, no sentido de adeptos do (...)
Palavras de Paulo Morais: "A política é uma Mega-Central de negócios..." Que tipo de governantes temos à frente do país ?   Vejam aos 9 minutos... Afinal, todos os contratos se podem rasgar!!! Sim... Todos, incluindo a Constituição da república, menos os que foram feitos com os privados ! Estamos convictos de que, se fizessem um Ranking dos governantes do Planeta, Portugal estaria em primeiro ou segundo (caso a Grécia ficasse na cauda!)   Portugal tem três das (...)
  Não... Não há falha. É mesmo no singular. Não são 56 medidas contra a crise...É mesmo como diz no título: "56 Medida Contra a Crise". Isto porque o 56 é um Número fundamental no combate à crise actual. Ele pode ser parte da solução constituindo-se numa me (...)
Enquanto os verdadeiros problemas, os problemas de fundo do nosso país continuam por resolver, os políticos portugueses continuam entretidos com reformas da Língua, com a adopção do (des)acordo ortográfico (que, para além de ineficaz e absaurdo, apenas ajudará o país a afundar-se ainda mais logo que as editoras brasileiras onde o nível de vida é mais baixo decidirem asfixiar as editoras portuguesas!) ou com a reforma educativa, centrada na revisão (mais uma!) curricular ou na (...)
Caríssimos leitores. Raramente nos colocamos a dissertar sobre assuntos de ordem económica. De facto, não tendo formação aprofundada nesta área, temos consciência de que, quando se fala de economianão é necessário ser-se licenciado para entender se o caminhho que trilhamos conduz ao equilíbrio financeiro das nossas contas ou ao abismo. Quantos portugueses são sistematicamente chamados a gerir o seu (parco!) Orçamento Familiar sem que tenham qualquer formação na área da (...)
Vejam ao minuto 9:20 o que se afirma. E isto não pode ser falso. É uma reportagem baseada em documentos... A energia aumentou 500% ...? Com os Socialistas no Governo? Buracos e mais buracos criados pelos socialistas... Não posso crer! Barragens... Auto-estradas, SCUT's (Sem Custos para o Utilizador???... Como? SCUT's... uma sigla tão falsa como a da tolerância Zero (quando na verdade é INTOLERÂNCIA TOTAL: passas 1 km do limite, e Zás! Pagas e não bufas!) tudo é para afundar os (...)
29 Abr, 2012

A Caminho do Fundo

Por que motivo Portugal está no ponto em que está?   Vejam o filme do documentário "Donos de Portugal".   Donos de Portugal é um documentário de Jorge Costa sobre cem anos de poder económico. O filme retrata a proteção do Estado às famílias que dominaram a economia do país, as suas estratégias de conservação de poder e acumulação de riqueza. Mello, Champalimaud, Espírito Santo – as fortunas cruzam-se pelo casamento e integram-se na finança. Ameaçado pelo fim da (...)
  Voltei... Depois de um período de pausa para dar tempo a quem precisa de tempo, estamos de volta... E não trazemos boas notícias... Antes pelo contrário... É pois com indignação que voltamos a escrever sobre Portugal... Sim. Sobre este os problemas que este país tem de enfrentar pela incompetência de quem nos governa. Continuamos mais ou menos na mesma... Mudam-se os consortes mas mantêm-se as sortes. Este é um problema que deveria fazer reflectir muitos dos portugueses. (...)