Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Até que o Teclado se Rompa!

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

Até que o Teclado se Rompa!

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

Onde está a saída? Na queda do Governo? Com os poderosos a comandar o país, parece que o povo não tem outra saída... Ou se revolta e castiga os responsáveis pela crise... ou então, é melhor começar já a cavar a sepultura para que não seja lançado e enterrado numa valeta!     
06 Mar, 2013

Basta

Há anos os políticos apoiados por jornalistas oportunistas que apareceram como "comentadores políticos de meia-tigela" (como Miguel de Sousa tavares) ajudaram a implementar as propinas livrando dinheiro para os corruptos afundarem ainda mais o país. O Estado Português NUNCA está contente enquanto há um cêntimo no bolso do cidadão. Por isso... Já não bastavam os gastos que tinham as famílias por terem seus filhos a estudar... ! Não. O Estado não estava satisfeito porque (...)
29 Abr, 2012

A Caminho do Fundo

Por que motivo Portugal está no ponto em que está?   Vejam o filme do documentário "Donos de Portugal".   Donos de Portugal é um documentário de Jorge Costa sobre cem anos de poder económico. O filme retrata a proteção do Estado às famílias que dominaram a economia do país, as suas estratégias de conservação de poder e acumulação de riqueza. Mello, Champalimaud, Espírito Santo – as fortunas cruzam-se pelo casamento e integram-se na finança. Ameaçado pelo fim da (...)
Está a acontecer na nossa rua e à nossa volta, e ainda não percebemos que a Revolução, uma nova Era já começou! As pessoas andam um bocado distraídas! Não deram conta que há cerca de 3 meses começou a Revolução! Não! Não me refiro a nenhuma figura de estilo, nem escrevo em sentido figurado! Falo mesmo da Revolução "a sério" e em curso, que estamos a viver, mas da qual andamos distraídos (desprevenidos) e não demos conta do que vai implicar. Mas falo, seguramente, duma (...)