Até que o Teclado se Rompa!
"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

29 Março 2014

Dizem estudos que "Vamos ser menos e viver mais em 2060".

Algo de errado está aqui: mas viver mais ou estar vivos mais tempo? Porém, cremos que hé uma enorme diferença entre "viver mais tempo" e "estar vivo mais tempo" ou seja, "viver mais anos" e "estar vivo mais anos". De facto, há pesoas que estão vivas mais anos mas, isso não significa que vivam mais anos. Muitos, vegetam, mantêm as funções vitais mas nao vivem. Muito menos com a falta de recursos, apenas se alimentam, adiando o dia de ir aprar ao cemitério. É esta uma grande conquista da ciência? É esta a regalia que os govenros têm apra dar aos cidadãos? Ou será qu, por detrás desta mensagem está oculta outra mais grave: como vivemos (ah ah ah) mais anos, temos de trabalhar até mais tarde... Isso significa que, descontaremos até aos 70 ou 80 anos! Nem que as pessoas que chegam a essa idade nada recebam do estado! Assim, por que motivo teremos de trabalhar até ao ano em que morremos? Para quem ficam os descontos que foram efectuados por esse tal cidadão que teoricamente viveria até aos 80 anos mas que sucumbiu aos 62 após 40 anos de descontos? Quem fica com o dinnheiro? Se o Estado está de boa-fé, então que tenha a coragem de legislar que todos os cidadãos (ou os seus herdeiros) têm direito a receber o valor mensal da sua reforma durante X anos, até que seja atingida a tal média de vida que dizem estar a aumentar!

 

Ora, se o Estado diz que tem de garantir o pagamento das pensões, na verdade o que ele faz é entregar aos cidadãos aquilo que eles mesmos descontaram ao longo das suas vidas ou carreiras contributivas. Se vamos trabalhar para receber, quando chegue a hor da morte... por que não dá o Estado aos descendentes o valor que (teoricamente e em funçao da tal esperança média de vida) esse mesmo cidadão teria direito a receber se vivesse esses anos? Simples. Porque o Estado esá pouco preocupado com a saúde e a vida dos cidadãos... O que os governantes querem ao alongar a idade da reforma é que cada vez as pessoas se reformem a menos anos da sua morte... (O resto são tretas!). Ainda que seja em média! 

Por que motivo o Estado não dá aos cidadãos a garantia de pagamento dessa tal "média de anos" depois de se reformarem? Claro, claro... Com que vacina o iriam fazer? Ora, se não garante que vivamos para usufruir da nossa reforma, como quer que trabalhem até tão tarde? Afinal essa coisa da média... é uma estupidez. Nela podem estar a influir pessoas a quem o Estado nunca teve qualquer gasto ou tem um gasto irrisório. Basta ver a idade de muitos dos nossos anciãos das aldeias do interior para perceber que recebem uma côdea... mas contribuem para o aumento dessa tal "média de anos de vida" (que muitas vezes, de vida pouco ou nada têm, para além da manutenção do corpo com a tais funções vitais!

 

publicado por J.Ferreira às 02:31

pesquisar
 
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

16
17
18
19
22

23
24
25
26
27

30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO